Como manter uma CAMPANHA VIVA por tantos anos?

Essa é a seção para conversas gerais sobre RPG, que não são sobre um sistema específico, ou se aplicam a vários sistemas.

Moderador: Moderadores

Avatar do usuário
Yoda
Mensagens: 532

Re: Como manter uma CAMPANHA VIVA por tantos anos?

Mensagem#151 » 09 Set 2013, 20:12

Sim e Sim. É algo trivial, diversos sistemas indies (e alguns tradicionais, como Call of Cthulhu) foram feitos para funcionar para jogos de curta e média duração, sem e contar que no Brasil a maioria dos jogos indies (ou inspirados por tal) mal tem um ou dois anos de idade, vide Blood&Honor...


Mas Advogado... nao seria esta uma questão presente em todos os rpg`s? Ou seja, que a escolha ´´e do jogador e mestre?
Jogar longo ou curto? Saca?

Avatar do usuário
Hibernando
Mensagens: 201

Re: Como manter uma CAMPANHA VIVA por tantos anos?

Mensagem#152 » 10 Set 2013, 00:54

Ha RPGs voltados mesmo a jogos curtos?
E tipo, estas coisas estão definidas nas regras?

Mas como proibir que se avance nestes jogos? As regras dizem isso? :shock:

Avatar do usuário
Advogado de Regras
Mensagens: 2235

Re: Como manter uma CAMPANHA VIVA por tantos anos?

Mensagem#153 » 10 Set 2013, 04:58

Mas Advogado... nao seria esta uma questão presente em todos os rpg`s? Ou seja, que a escolha ´´e do jogador e mestre?


Claro que DMs e Jogadores podem jogar da forma que escolher, mas isso não altera o fato que alguns RPGs foram projetados para funcionar em certo tipo de jogo e com certas expectativas. Salvo algumas variantes, quem joga Call of Cthulhu/Trail of Cthulhu já aceita (implicita ou explicitamente) que seu personagem tem uma expectativa curta de existência, que ele provavelmente morrerá/enlouquecerá em algum ponto do jogo e que não há a menor chance de um confronto direto com um Elder God.

Ha RPGs voltados mesmo a jogos curtos?
E tipo, estas coisas estão definidas nas regras?

Mas como proibir que se avance nestes jogos? As regras dizem isso?


Não sei qual o motivo da surpresa, RPGs de Curta Duração existem desde que D&D foi lançado. As próprias edições introdutórias/caixas introdutórias de D&D podem ser vistas como isso, já que providenciam regras para o avanço curto de personagens (níveis 1-3 ou 1-6), não ensinam a jogadores e DMs as características de um jogo de longo alcance e se focam em aventuras prontas (geralmente presentes na própria caixa).

RPGs de Curta Duração fazem praticamente a mesma coisa - Eles não proíbem explicitamente você de tentar manter jogos de longa duração, apenas não dão suporte mecânico para eles. Geralmente esse tipo de RPG tem regras de criação de personagens mais simples, evolução restrita ou curta dos mesmos personagens e lidam com temas distintos - desde Lady Blackbird que se foca em uma curta expedição em um Navio Alado, Fiasco onde os jogadores contam a história de um desastre (e não há DM nesse jogo), Trail of Cthulhu purista, onde não há evolução e aumento do poder do personagem e as mecânicas de recuperação de Vida, Sanidade e Estabilidade são bem cruéis, Houses of the Blooded e Paranoia jogados em modo competitivo, onde os jogadores podem competir e oporem entre eles. Ou simplesmente jogar um One-Shot de qualquer RPG existente no mercado.
"Powergaming: Por que você não pode interpretar se está morto" por Morrowner Fórum da WotC.

"The fear of munchkins, I have found, is a much greater threat to game integrity than actual munchkins." por Black Hat Matt, freelancer da White Wolf.

Avatar do usuário
ronassic
Administrador
Mensagens: 1776
Contato:

Re: Como manter uma CAMPANHA VIVA por tantos anos?

Mensagem#154 » 10 Set 2013, 09:21

Liga não Advogado, o Hibernando é piadista, ele sabe que há RPGs voltados para jogos curtos.
"O topo da inteligência é alcançar a humildade."

Avatar do usuário
Raconn
Mensagens: 198

Re: Como manter uma CAMPANHA VIVA por tantos anos?

Mensagem#155 » 10 Set 2013, 18:19

Sem contar , para a lembrança de todos, que diversos sistemas desde o início apresentaram aventuras bem definidas com começo, meio e fim. E que estas ajudam a de forma linear a dar forma a diversas linhas de aventura.
Talvez a pergunte seja a respeito de sistemas que possam ser direcionados a ter este propósito.

Mesmo títulos como CoC podem render campanhas longas como a galera do Blog Tentacular prova.
Tudo é questão de como mestrar e como direcionar o tempo que deseja administrar.

Algumas aventuras de Pathfinder por exemplo chegam a ser densas o suficiente para que se tornem quase mini campanhas (seja lá o que esta temporalidade quer dizer)

Avatar do usuário
Advogado de Regras
Mensagens: 2235

Re: Como manter uma CAMPANHA VIVA por tantos anos?

Mensagem#156 » 11 Set 2013, 02:53

Algumas aventuras de Pathfinder por exemplo chegam a ser densas o suficiente para que se tornem quase mini campanhas (seja lá o que esta temporalidade quer dizer)


São campanhas mesmo. Os Adventure Paths da Paizo são longos, onde cada campanha tem 6 livros de aventuras, que geralmente são feitas para ir do nível 1 até 16-20 (isso vai depender do tipo de tabela de evolução que será usada), enquanto a Wizards of the Coast fez algo ainda mais extenso em D&D 4e, onde o Adventure Path do lançamento tinha nada menos que 9 livros e ia do nível 1 até o 30, e foi seguido por um com o mesmo número de aventuras, só que na Dungeon Magazine.

Mesmo títulos como CoC podem render campanhas longas como a galera do Blog Tentacular prova.
Tudo é questão de como mestrar e como direcionar o tempo que deseja administrar.


Poder, pode. Eu só não apostaria minhas fichas que CoC vai suportar bem esse estilo de jogo.
"Powergaming: Por que você não pode interpretar se está morto" por Morrowner Fórum da WotC.

"The fear of munchkins, I have found, is a much greater threat to game integrity than actual munchkins." por Black Hat Matt, freelancer da White Wolf.

Avatar do usuário
ronassic
Administrador
Mensagens: 1776
Contato:

Re: Como manter uma CAMPANHA VIVA por tantos anos?

Mensagem#157 » 11 Set 2013, 15:01

Eu lembro que você comentou isso anteriormente sobre as aventuras da Paizo, disse inclusive que são linkadas umas nas outras.
Ainda não tive o prazer de jogar campanhas acima do 25 nível, quem sabe um dia.
"O topo da inteligência é alcançar a humildade."

Avatar do usuário
Advogado de Regras
Mensagens: 2235

Re: Como manter uma CAMPANHA VIVA por tantos anos?

Mensagem#158 » 13 Set 2013, 06:15

lembro que você comentou isso anteriormente sobre as aventuras da Paizo, disse inclusive que são linkadas umas nas outras.


Sim, e normalmente ligadas por algum tema em comum. Rise of the Runelords é basicamente "todos clichês de D&D em um jogo só", Kingmaker é sobre a construção e estabilização de uma região e como os personagens lidam com responsabilidades além do comum, enquanto Carrion Crown é o mais próximo de uma campanha de horror (ou melhor, de espancar horrores) que D&D consegue suportar e Jade Regent é sobre Vikings e Ninjas. Ao mesmo tempo.

Ainda não tive o prazer de jogar campanhas acima do 25 nível, quem sabe um dia.


Eu já cheguei bem próximo disso uma vez mestrando na transição entre D&D 3.0 e 3.5 (foi a campanha mais duradoura que eu mestrei, quase 3 anos com pequenas interrupções) e como jogador em D&D 4e - mas ambas terminaram no nível 24. Em geral, eu não recomendo os níveis mais altos de D&D para ninguém, mesmo D&D 4e que tenta tornar os níveis épicos bastante amigáveis ainda tem algumas falhas bastante incômodas.
"Powergaming: Por que você não pode interpretar se está morto" por Morrowner Fórum da WotC.

"The fear of munchkins, I have found, is a much greater threat to game integrity than actual munchkins." por Black Hat Matt, freelancer da White Wolf.

Avatar do usuário
ronassic
Administrador
Mensagens: 1776
Contato:

Re: Como manter uma CAMPANHA VIVA por tantos anos?

Mensagem#159 » 13 Set 2013, 11:39

Ninjas e Vikings ao mesmo tempo? :shock:
Doido isso mano! Deve ser legal.

Realmente é complicado jogar em nível épico, já joguei e eu noto que o narrador se sente obrigado a botar monstros fortes demais para enfrentarmos, ao ponto de não restar mais nada tão forte, nem mesmo contra um membro isolado do grupo. Porque é um personagem montado ao longo de muito tempo, e qualquer monstro que ele bater de frente, ou será muito apelão, ou será muito fácil, é difícil encontrar um equilíbrio, então é melhor tentar evitar que as campanhas épicas virem uma arena, senão seu jogo não vai durar muito, a não ser que o propósito seja ser realmente uma arena.
Por isso sempre recomendo jogar num grupo composto por pessoas equilibradas, não de moleques. A não ser que esteja ensinando novos jogadores a jogar.
E realmente há muitas falhas para jogos épicos no D&D. Chega a ser triste.
"O topo da inteligência é alcançar a humildade."

Voltar para “Dicas & Ideias”

Quem está online

Usuários neste fórum: Nenhum usuário registrado e 4 visitantes