Tablet ou Livros?

Essa é a seção para conversas gerais sobre RPG, que não são sobre um sistema específico, ou se aplicam a vários sistemas.

Moderador: Moderadores

Avatar do usuário
ronassic
Administrador
Mensagens: 1776
Contato:

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#16 » 12 Jul 2013, 09:03

Vejam essa discussão que o Chico levantou e o seu trabalho de digitalizar tabelas e apresentá-las de forma mais interessante em tablets.

http://alemdaimaginacaorpg.wordpress.co ... ks-de-rpg/
"O topo da inteligência é alcançar a humildade."

Avatar do usuário
taverneiro
Mensagens: 65

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#17 » 12 Jul 2013, 13:35

Vejam essa discussão que o Chico levantou e o seu trabalho de digitalizar tabelas e apresentá-las de forma mais interessante em tablets.

http://alemdaimaginacaorpg.wordpress.co ... ks-de-rpg/

Sensacional este artigo. Valeu por compartilhar.

Comprei dois RPGs da Evil Hat Productions em PDF e ePub (os dois formatos pelo preço de um). Como uso o Kobo Touch para ler livros, a apresentação do Fate Core, por exemplo, funcionou mto bem e, apesar de nao ter o livro físico, posso jogar sem problemas. Neste caso, a diagramaçao é bem simples e as tabelas são apresentadas como figuras.

Agora, uma coisa interessante que li neste artigo:
se querem vender seus livros com novos jogos nos formatos digitais, tentem pensar em uma maneira de minizar o uso de tabelas ou diminuir seu tamanho

Isso muda o próprio game design do sistema. Menos tabelas teriam um efeito imediato nas regras? Creio que sim.
"Owo Grunish topuck norio kromsh?
OW ROUTZ PRECOIL CHARTZAM!!!!"
- Antigo provébio Troll

Avatar do usuário
eusouochico
Mensagens: 18
Contato:

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#18 » 13 Jul 2013, 17:59

taverneiro escreveu:Isso muda o próprio game design do sistema. Menos tabelas teriam um efeito imediato nas regras? Creio que sim.


Olá, pessoal.

Estamos tendo uma conversa parecida com isso na comunidade RPG Indie no Facebook e agradeço por citarem meu artigo. Este e o anterior apareceram do meu inconformismo com a falta de livros nos formatos de ebook. Por isso decidi arregaçar as mangas e começar a fazer.

Em relação ao saudosismo com os livros de papel, esta discussão é mais ou menos a mesma que aconteceu na transição do DVD para o mp3 e da foto de papel para foto digital. Na época eu mesmo falava que jamais iria aderir as fotos digitais por que nada supera o papel, mas a praticidade e a facilidade que a tecnologia trouxe foram inegáveis e a transição aconteceu de maneira natural (apesar de eu ainda adorar fotos em papel!).

Quando as editoras decidiram publicar em PDF houve muitas críticas, mas hoje é natural comprar o livro em PDF e em papel. Com isso, quero dizer que acho que a transição para os formatos de ebook é algo que vai acontecer naturalmente, independente do saudosismo com os livros em papel, por um simples motivo: espaço físico

Este foi o motivo que me fez investir na compra de ebooks, afinal não temos mais tanto espaço para ter grandes bibliotecas em casa. A questão do DRM é polêmica, mas existem várias maneiras de lidar com isso, inclusive, se o seu aparelho for roubado (e você optar por manter a DRM) é possível descadastrar ele e incluir outro pelo software de desktop, como o Adobe Digital Editions e Kindle/Kobo Desktop. Além disso, o conforto da leitura do epub/mobi é superior ao PDF, pois não precisa de zoom e pode ser feito de qualquer aparelho, inclusive de notebooks e celulares. E este é o ponto mais crucial aqui.

Tablets podem ser caros e chamar a atenção, mas quem tem medo hoje de sair usando o telefone no meio da rua ou no metro? É possível ler nos smartphones, que não estão tão caros e possuem modelos para todos os bolsos. E ilustrando as potencialidades deste aparelhos nas mesas de jogo, vejam o vídeo deste link:

http://www.kickstarter.com/projects/186 ... atures-boa

Quem quiser acompanhar a conversa na comunidade RPG Indie, vejam aqui: https://www.facebook.com/groups/2808366 ... 291145721/

Já comprar um leitor dedicado de ebooks é uma decisão que deve ser pensada com calma. Eu investi em um Tablet por que ele acrescenta muito mais, mas logo penso em comprar um Kindle pelo conforto da leitura com o e-ink.
Além da Imaginação - Onde o misterioso e o fantástico se encontram
http://alemdaimaginacaorpg.wordpress.com

Bem, quando você olha para o infinito, você percebe que existem coisas mais importantes do que o que você faz o dia inteiro. (Calvin)

Avatar do usuário
taverneiro
Mensagens: 65

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#19 » 15 Jul 2013, 10:05

Este e o anterior apareceram do meu inconformismo com a falta de livros nos formatos de ebook.

Entendo o seu inconfromismo, mas acho que a transição está sendo feita pelas editoras aos poucos. Particularmente, em RPG, eu consumo PDF e ePUBs importados e noto que est\ é uma tendencia crescente. Então é só uma questão de tempo. Canais importantes de reviews como o GameGeekRPG.com já estão fazendo reviews de jogos que SÓ foram lançados em formato eletronico.

Este foi o motivo que me fez investir na compra de ebooks, afinal não temos mais tanto espaço para ter grandes bibliotecas em casa. A questão do DRM é polêmica, mas existem várias maneiras de lidar com isso, inclusive, se o seu aparelho for roubado (e você optar por manter a DRM) é possível descadastrar ele e incluir outro pelo software de desktop, como o Adobe Digital Editions e Kindle/Kobo Desktop.

Eu uso Linux e a distribuição em questão adota somente formatos abertos. Então é um receio a mais para mim COMPRAR alguma coisa que talvez não funcione no meu dispositivo. Não compro absolutamente NADA com DRM e se as editoras que eu compro RPG adotarem isso eu volto pros livros físicos, se é que volto a comprar algo daquela editora.

Além disso, o conforto da leitura do epub/mobi é superior ao PDF

Sem dúvida, mas os livros de RPG tem um grande apelo visual, com arte, cor e diagramação. O PDF representa "melhor" estes aspectos, enquanto que um epub AINDA peca neste sentido. Obviamente que é uma questão de tempo até que este formato de arquivo (bem como seus respectivos readers) evoluam. Honestamente, vejo com bons olhos este avanço e aos poucos vou migrando minhas coisas para o e-reader.

mas quem tem medo hoje de sair usando o telefone no meio da rua ou no metro?

Eu! Depois de ser abordado duas vezes por trombadinhas eu não exibo mais meu smartphone em alguns lugares, mesmo que me liguem. Zona Norte de São Paulo e suas estações imundas, é corriqueiro eu ver esse tipo de coisa e até brigas por pessoas reagirem às tentativas de assalto. Amo São Paulo mas tá complicado.
"Owo Grunish topuck norio kromsh?
OW ROUTZ PRECOIL CHARTZAM!!!!"
- Antigo provébio Troll

Avatar do usuário
Own_mystical
Mensagens: 448

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#20 » 15 Jul 2013, 12:34

Chico parabéns pela visão e opinião exposta em artigo.
Muito interessante mesmo a questão é super pertinente.

Avatar do usuário
eusouochico
Mensagens: 18
Contato:

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#21 » 15 Jul 2013, 14:26

Obrigado, pelo elogio Own_mystical. :)

Então Taverneiro, eu vejo que as editoras de RPG estão fazendo a transição devagar, mas ela não acontece do nada: a comunidade tem de mostrar interesse nisso, que foi exatamente o que aconteceu com as publicações em PDF aqui. Por isso, o inconformismo é fundamental; quero mais gente inconformada com isso! :D

Você citou vários exemplos de como o RPG em epub e mobi está sendo bem aceito nos EUA, mas não dá para usar como base de comparação. O mercado lá e aqui são completamente diferentes, pelo fato de um grande número de publicações serem de licenças de jogos importados e por que não existem dados sobre o mercado aqui (o que poderia inviabilizar meu comentário de que os mercados são diferentes). As editoras precisam saber que os jogadores querem isso.

Eu também uso Linux. Faço tudo nele e sempre procuro opções quando necessito de um software de windows ou procurando softwares que possam ser usados em mais de um SO. Mas eu não sou um defensor ferrenho do uso exclusivo dos formatos livres. Por mais que seja válido seu argumento do DRM. Explico:

1) sempre existe como rodar formatos fechados no linux e existe como gerenciar livros com DRM. Mesmo que o Adobe DIgital Editions permita que você coloque o livro em no máximo três aparelhos, você tem mais do que isso? Especialmente dos que você leva por aí?

2) o uso de MP3 é massivamente maior do que o OGG e do AVI/MP4 do que o OGM. Com isso quero dizer que nem sempre formatos abertos ganham popularidade, o que inviabiliza seu uso para as editoras. O MOBI mesmo é um formato fechado, enquanto o EPUB não, mas o suporte a estabilidade do primeiro são muito maiores e é por isso que vou comprar um Kindle e não um Kobo, quando for investir em um e-reader.

3) DRM é algo que todo leitor vai ter de lidar e um direito do autor. Pode não parecer justo alguém colocar DRM em um livro que publicou, mas é um direito deste autor para proteger sua obra (se coloca no lugar dos autores e editoras). Claro, você tem a opção de não comprar, mas uma hora pode acabar saindo um jogo ou livro que te interessa com DRM e você vai ter de lidar com isso. A adoção de formatos livres de maneira integral passa por uma mudança cultural que deve acontecer em relação ao desejo de piratear uma obra, especialmente das que possuem DRM (recomendo muito o Botequim dos Jogos sobre pirataria para quem se interessa pelo assunto) e isso vai levar anos. A melhor forma de mudar o uso da DRM é as pessoas começarem a comprar livros com ele e não incentivarem que eles sejam pirateados. Encare como um prova de boa vontade dos leitores, que pode mudar o comportamento dos autores a longo prazo.

Sobre o apelo visual dos livros de RPG eu acho que a maior questão é a seguinte. O e-book roda muito bem em dispositivos móveis sem grande capacidade de processamento, um pdf cheio de perfumarias não. Você pode atingir um público muito maior se buscar soluções. Mesmo os pdfs de livros de RPG daqui são feitos para impressão e não para leitura digital (apontei isto nos meus artigos: texto em duas colunas, falta de índice interativo, tamanho da folha,...), mas há um argumento, deixado pelo Marcos Silva na comunidade Indie RPG do Facebook (https://www.facebook.com/groups/2808366 ... omments=26), que deveria ser pensado:

"(...) esse tipo de solução para ilustrar nossos livros de RPG é lógica, simplista, didática e até meio preguiçosa. Em muitos casos a coisa beira o infantil. Se é possível ter soluções diferentes ( não sei se melhor seria a palavra mais adequada) ? Estamos falando de arte não estamos? A Arte é livre e capaz de surpreender."

Não lembro quem me falou uma vez que quando você escreve um livro com fundo todo cheio de firulas e com milhares de desenhos é por que seu texto é ruim, mas sem querer julgar a arte e o trabalho das pessoas do ramo, existe um ponto nele que é verdadeiro: o que importa é o texto, a arte é um adicional que pode se adaptar a ele.

E tudo bem, você foi abordado por trombadinhas no metro ou no trem em São Paulo. É uma questão grave de segurança pública que não afeta somente uma pessoa, mas não dá para pensar que sua experiência pessoal é uma limitação para a leitura de ebooks (e nem todo mundo mora em São Paulo). Muita gente, mesmo em São Paulo, usa smartphones abertamente, e mesmo que não se leia no transporte público, pode-se usar o celular para ler em outros lugares como no horário de almoço no trabalho ou na biblioteca da faculdade, sem carregar peso. Esta é uma dimensão dos ebooks, especialmente dos de RPG, que não pode ser ignorada.
Além da Imaginação - Onde o misterioso e o fantástico se encontram
http://alemdaimaginacaorpg.wordpress.com

Bem, quando você olha para o infinito, você percebe que existem coisas mais importantes do que o que você faz o dia inteiro. (Calvin)

Avatar do usuário
eusouochico
Mensagens: 18
Contato:

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#22 » 15 Jul 2013, 15:25

Há mais um tempo que esqueci de abordar: a espera da evolução dos formatos de ebook. Realmente, no futuro próximo, muito do que se faz em papel poderá se fazer em ebook, mas esperar que isto aconteça pode acarretar em duas coisas:

1) os autores perdem a oportunidade de buscar novas soluções para os seus jogos, trazendo toda uma série de inovações para os ebooks e para os jogos de RPG.

2) as editoras que ficarem esperando vão ser prejudicadas, em detrimento daquelas que tentarem se adaptar, e podem morrer na praia.
Além da Imaginação - Onde o misterioso e o fantástico se encontram
http://alemdaimaginacaorpg.wordpress.com

Bem, quando você olha para o infinito, você percebe que existem coisas mais importantes do que o que você faz o dia inteiro. (Calvin)

Avatar do usuário
taverneiro
Mensagens: 65

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#23 » 15 Jul 2013, 17:25

Você citou vários exemplos de como o RPG em epub e mobi está sendo bem aceito nos EUA, mas não dá para usar como base de comparação. O mercado lá e aqui são completamente diferentes, pelo fato de um grande número de publicações serem de licenças de jogos importados e por que não existem dados sobre o mercado aqui (o que poderia inviabilizar meu comentário de que os mercados são diferentes). As editoras precisam saber que os jogadores querem isso.

Entendi. Concordo que as editoras precisam de números para "comprar" a ideia de contratar um diagramador de ebooks. Claro que nesta análise o próprio sucesso dos dispositivos móveis para essa finalidade e as vendas dos livros eletronicos por parte de outras editoras podem ser levadas em consideração.

Pelo que entendi desta notícia, por exemplo, as vendas são lideradas pelas grandes editoras nas grandes plataformas. Mas também o crescimento do mercado é algo consideravel, especialmente considerando a redução no custo da publicação e distribuição do material.

Creio que tudo depende da mentalidade do jogador em aceitar esse formato. Como consumidor de material importado, eu particularmente prefiro o material eletronico, sempre dando preferência ao EPUB. Mas, honestamente, me agrada mto quando o produto oferecido é um pacote com dois arquivos: EPUB e PDF.

existe um ponto nele que é verdadeiro: o que importa é o texto, a arte é um adicional que pode se adaptar a ele.

Sim e não. RPG é um jogo de imaginação. O apelo visual é parte da obra mais do que uma versão simplesmente ilustrada de um romance. Não é julgar o livro pela capa, mas o gamer sempre apreciou a ilustração de um jogo como D&D pois (quando bem selecionada) a arte dá uma identidade ao jogo. Mesmo sistemas genéricos possuem esse apelo: compare a arte de Fate Core e GURPS, eu vejo ali muito da proposta de cada jogo.

Eu não acho que o jogador mediano esteja disposto a abrir mão desse apelo visual tão logo. Mesmo que a praticidade do ebook seja incontestável. Por isso eu prefiro ter EPUB e PDF no mesmo pacote: na hora de ler a obra toda eu leio no e-reader, mas levo o PDF pra mesa num tablet, por exemplo. É legal para mostrar a alguem como o jogo é sem ter que explicar muito.

Quanto ao DRM eu entendo o outro lado e sei lidar com as limitações da minha convicção por defender formatos abertos e nem quero causar polemica e acho que é uma discussão para um tópico só dele. Mas, concluindo, o DRM pra mim é simples: comprei um livro e ninguem vai me dizer em quantas mochilas poderei carregá-lo. Posso comprar uma mochila nova e querer carregar o livro ali agora. Se as editoras não enxergam desta forma, ótimo, é o direito delas. Mas que elas ficarão sem um comprador, disso eu tenho certeza.
"Owo Grunish topuck norio kromsh?
OW ROUTZ PRECOIL CHARTZAM!!!!"
- Antigo provébio Troll

Avatar do usuário
eusouochico
Mensagens: 18
Contato:

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#24 » 15 Jul 2013, 18:17

Acho que no caso dos livros de RPG, o interesse pelo ebook ser capitaneado pelas grandes editoras é bem complicado, pois as maiores que lidam com o jogo não tem livros nem mesmo em PDF. A Redbox comentou que iria entrar no mercado, mas não sei se na hora da compra do livro digital teremos os arquivos PDF, Mobi e ePub. Gostaria dos três, mas se não tiver esta opção e o preço for razoável não vejo como um empecilho e posso investir nos formatos de meu interesse individualmente. É mais ou menos como um livro em papel: você não compra a paperback e ganha a capa dura, especialmente por que os arquivos individuais dão trabalho e hoje mexendo com isso, sei que a conversão não é direta, mesmo entre o ePub e o Mobi (ao menos para se conseguir bons resultados neste caso; a conversão direta ePub -> Mobi trás vários problemas). Embora concorde que seria justo receber os 3 arquivos, como ocorre no mercado americano, mas isso depende do comportamento editorial daqui; nos livros de LF pelo menos não se compra o Mobi e ganha-se o ePub. Para ter certeza da justiça disso, temos de ter as opiniões de quem publica e sabe dos custos de produção.

Do apelo visual acho o seguinte: como o RPG é um jogo de imaginação, ela não depende somente da arte interna do livro. Por mais que os jogadores apreciem as maravilhosas ilustrações de D&D não acredito que o consumidor verá isso como um empecilho, desde que o trabalho seja bem feito (mas precisamos de mais opiniões sobre isso, além da minha e a sua). Da arte do Fate Core adquiri o ePub e o Mobi dele no RPGNow e a arte dele é bem simples e direta, sem prejudicar: tem as informações pertinentes, as figuras necessárias de raças e cenários e as tabelas, tendo o mesmo impacto que um livro impresso. Outra coisa: se todo livro para atrair o leitor tivesse de ser como o D&D, o Old Dragon não faria o sucesso que ele tem hoje, com seu conteúdo preto-e-branco e umas poucas figuras.

A questão não é abolir a arte dos livros, mas adaptar ela aos novos modos de leitura e aos dispositivos móveis, onde praticidade e uma boa relação com o hardware dos aparelhos é importante. Esse argumento é mais ou menos como o saudosismo da foto em papel e do CD: podia até ser visualmente melhor, mas não é a única opção, e o investimento na praticidade e nos formatos digitais popularizou essas coisas de uma forma nunca imaginada.

Minhas crítica com os PDFs de RPG é que eles não foram pensados para leitura digital como expliquei, e sim para serem uma cópia exata do livro impresso (um PDF pensado para isso é o manual básico do Eclipse Phase, onde inclusive pode-se ligar e desligar os layers da arte e das imagens de fundo, para facilitar a vida de computadores mais antigos e dispositivos mais simples).

Eu respeito sua opinião sobre o DRM mas não concordo, por que a meu ver parece uma opção mais cômoda motivada pela revolta de não ter o quer, e não de compreender o lado de quem publica. Pode parece uma crítica dura, mas na verdade é uma opinião sincera e se quiser abrir um tópico somente sobre isso podemos conversar mais e desdobrar/mudar nossas opiniões.
Além da Imaginação - Onde o misterioso e o fantástico se encontram
http://alemdaimaginacaorpg.wordpress.com

Bem, quando você olha para o infinito, você percebe que existem coisas mais importantes do que o que você faz o dia inteiro. (Calvin)

Avatar do usuário
Leprechau
Mensagens: 151

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#25 » 15 Jul 2013, 18:46

Vejam, na não há muita opção eletrônica de RPG.s
Na verdade a DEVIR vendeu horrores em velhos e clássicos livros físicos.

Se esta transição chegar mesmo, aparentemente me parece ser devagar pacas, não?

Avatar do usuário
eusouochico
Mensagens: 18
Contato:

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#26 » 15 Jul 2013, 18:52

Eu respeito sua opinião sobre o DRM mas não concordo, por que a meu ver parece uma opção mais cômoda motivada pela revolta de não ter o quer, e não de compreender o lado de quem publica. Pode parece uma crítica dura, mas na verdade é uma opinião sincera e se quiser abrir um tópico somente sobre isso podemos conversar mais e desdobrar/mudar nossas opiniões.


Depois que escrevi fiquei pensando que este último parágrafo pode gerar uma certa confusão se não for bem explicado e já vi a coisa desandar na internet por menos. Então vamos lá.

Comecei a usar software livre por segurança, após ser roubado pela internet. Com o tempo aderi a filosofia envolvida na sua criação e expandi para outras áreas, como no download de músicas e livros. Hoje não pirateio nem livros e nem músicas, comprando sempre, mesmo em mp3. Só não fiz isso ainda com séries e filmes, pois tenho procurado opções e tenho lido sobre sites como o Netflix.

O meu principal argumento antes de para de fazer downloads piratas era de que dvd, cds e livros eram muito caros e isso não era justo. A uma certa dose de razão neste argumento, mas como disse acima, ele é "uma opção mais cômoda motivada pela revolta de não ter o quer, e não de compreender o lado de quem publica". Então isto é uma autocrítica de quem já fez e ainda não parou de usar a pirataria como forma de obter o que deseja, mas pensa muito nisso e está em vias de parar de uma vez. Então se quiserem abrir o tópico de DRM expandimos a questão. :)
Além da Imaginação - Onde o misterioso e o fantástico se encontram
http://alemdaimaginacaorpg.wordpress.com

Bem, quando você olha para o infinito, você percebe que existem coisas mais importantes do que o que você faz o dia inteiro. (Calvin)

Avatar do usuário
eusouochico
Mensagens: 18
Contato:

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#27 » 15 Jul 2013, 18:54

Então Leprechaun, ela já chegou com os PDFs e pode chegar em breve com os ebooks, mas não vai ser capitaneada pela Devir e pela Jambô (e sim pela Redbox, Retropunk, Terra Incognita, Unza, Secular,...). A Devir tem o problema adicional da política da Wizards com os PDFs que só mudou recentemente.
Além da Imaginação - Onde o misterioso e o fantástico se encontram
http://alemdaimaginacaorpg.wordpress.com

Bem, quando você olha para o infinito, você percebe que existem coisas mais importantes do que o que você faz o dia inteiro. (Calvin)

Avatar do usuário
EagleSky
Mensagens: 187

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#28 » 15 Jul 2013, 20:01

E isto pegará mesmo? Ora, há tanto material disponível de AD&D por exemplo a anos e mesmo assim a galera em sua maioria não curte. A questão de ter livros nas mesas ainda é o que vale. Talvez a nova geração que está sendo moldada venha diferente.
O sistema de educação ajudará quando implantar de vez os tablets.

Avatar do usuário
taverneiro
Mensagens: 65

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#29 » 15 Jul 2013, 20:19

Depois que escrevi fiquei pensando que este último parágrafo pode gerar uma certa confusão se não for bem explicado e já vi a coisa desandar na internet por menos.

eusouchico: relaxa, cara. Eu sei como esse assunto pode gerar flamewar, mas fica tranquilo. Entendo o seu ponto. Criei um tópico para levarmos essa conversa de DRM mais a fundo sem desviar o tema original deste tópico:

Tecnologia DRM nos ebooks

Quanto ao mercado editorial, acho que é realmente uma questão de tempo até que tudo se converta ao formato digital. Creio que a foto é exemplo mais emblemático. Embora ainda existam pessoas (normalmente profissionais) que ainda prefiram o rolo de filme, a massa migrou para as câmeras digitais. E mesmo estas estão correndo o risco de serem aglutinadas pelos smartphones (ou google glass). O único empecilho é como o mercado vai digerir isso. Creio que esta será uma transição muito lenta, talvez mais do que a que você espera eusouchico. E eu lamento por isso também.

Eu acredito que a essencia do RPG não vai mudar por conta dessa migração. É uma questão de tempo até que se possa projetar conteúdo digital em superfícies como paredes e mesas. Poderemos projetar na mesa textos, imagens videos e por que não usar isso tudo para contar uma história? Acho que é este o caminho e imagino muito espaço que o RPG possa se aproveitar e ter uma imersão mto maior que a hoje em dia.

:hum: E entao virá o dia em que nossos filhos vao achar esta discussão algo completamente datada e sem sentido.

E isto pegará mesmo? Ora, há tanto material disponível de AD&D por exemplo a anos e mesmo assim a galera em sua maioria não curte.

Esse é o ponto. Não acho que D&D (ou pelo menos seu material antigo) fará parte do futuro no RPG. O legal é ter um material que foi projetado e pensado levando em conta todas as potencialidades e limitações do formato digital. Não adianta nada digitalizar um livro e por pra vender. Isso só vai atrair atenção de poucos curiosos.

Na minha opinião de consumidor, Ebook é um produto novo e sua produção deve ser encarada como tal.
"Owo Grunish topuck norio kromsh?
OW ROUTZ PRECOIL CHARTZAM!!!!"
- Antigo provébio Troll

Avatar do usuário
eusouochico
Mensagens: 18
Contato:

Re: Tablet ou Livros?

Mensagem#30 » 15 Jul 2013, 21:58

Olha, a velocidade de transição é um problema que é difícil de quantificar por que não existe ninguém que colete dados sobre o mercado de jogos de RPG. Queria ver se consigo pegar o número de downloads dos ebooks do Mundo de Masmorras que fiz, mas o media fire só permite isso na versão pró (algo a se pensar).

Mas não sei. A Redbox já deixou claro que vai entrar no mercado de ebooks e a Retropunk declarou ter a intenção. Mas até lá, excetuando Devir e Jambô, os pdfs de RPG vão de vento em popa, independente das minhas críticas sobre eles, o que é muito bom. :)

O que eu acho, é que o mercado de ebooks (no geral) está se aquecendo cada vez mais, do contrário Amazon, Kobo, Livraria Cultura e Saraiva não se empenhariam tanto assim para a venda destes. Agora para isto chegar no mundo do RPG existe o problema da mão de obra especializada, pois é muito simples fazer o ebook de um romance mas não de um artigo científico ou de livro técnico. Tenha tentado resolver os problemas e quem sabe ajude alguma editora com isso, mas eu sozinho não vou conseguir fazer todos. Em parte as discussões no meu blog sobre o assunto se prestam a isso, para ver se ajudo mais alguém a fazer o mesmo, trocando conhecimento.

Outro empecilho é o imposto sobre os ereader que encarecem o preço deles em 50% (não lembro onde eu vi isso). Existem alguma iniciativas para remover esta carga tributária, pelo fato do ereader ser dedicado a leitura e poder ser pensado como um livro, então teremos de esperar.

Mas você tocou em um ponto essencial Taverneiro: os RPGs em ebook no futuro não será o D&D ou o Gurps, pelo menos não da forma como conhecemos, eles terão de se reinventar para atenderem esta nova mídia. Isto na verdade aconteceu na transição da década 90: Milenia que tem um cenário maravilho tinha um sistema de regras medonho e cheio de tabelas, e não sobreviveu a transição para os sistemas menos gamistas que temos hoje (no caso de Milenia tem outros fatores, mas isso é mérito para outra discussão).

O que eu acho, é que mesmo que a mudança demore, este período de mudança é importante, pois está definindo como as coisas serão feitas e uma coisa importante, é que os jogadores mostrem para as editoras que tem interesse nisso, para justificar o gasto (só para terem uma ideia, mesmo que em outro mercado, trabalho em uma revista de educação matemática da UNICAMP e o editor cotou com um empresa o preço médio para que uma edição de cerca de 300 páginas fosse convertida em ebook: o valor médio foi de R$ 8.000,00).

E EagleSky, essa coisa dos tablets na rede pública é polêmica. Estávamos discutindo sobre isso em uma disciplina da faculdade de educação: a maior crítica é que não adianta colocar tablets na mão de todos os professores e alunos se eles não sabem como usar isso na atividade educacional. Mas essa é uma conversa realmente longa. :)
Além da Imaginação - Onde o misterioso e o fantástico se encontram
http://alemdaimaginacaorpg.wordpress.com

Bem, quando você olha para o infinito, você percebe que existem coisas mais importantes do que o que você faz o dia inteiro. (Calvin)

Voltar para “Dicas & Ideias”

Quem está online

Usuários neste fórum: Nenhum usuário registrado e 3 visitantes