O Refúgio da Gula

Abytter é um velho lobo-do-mar contador de histórias, sendo o mais experiente tripulante do navio Ganso Negro do Capitão Allef. Ao longo dos anos contou muito do viu e ouviu.. Algumas delas você pode achar que são lendas, mas tenha a certeza de que ocorreram...

Moderador: Moderadores

Avatar do usuário
Abytter
Mensagens: 5

O Refúgio da Gula

Mensagem#1 » 20 Dez 2012, 17:29

O Refúgio da Gula

Ahshmed corria pelos salões. O olhar dos Mamluks do quase sagrado grupo dos “Vigilantes” apenas o acompanhava sem que seus rostos de movessem. O eco de suas pisadas firmes, porém leves, como devia ser dentro do Solo Iluminado, avançava por entre corredores, salas e escapava por frestas e janelas de vitrais de Talab.

Em sua corrida ritmada e segura, abusava de sua autorização e chegou a pular a lendária “Salma”, tartaruga adorada do palácio. Um dos Mamluks riu em silêncio.

O escaninho em sua mão direita trazia a lista pedida. Em sua mente corriam rios de mel, frutas coloridas e o doce gosto das sobremesas de Azeeza Kamilah. E hoje ele poderia raspar o pote de doces. Ela prometera. Claro, se trouxesse em tempo hábil a lista.

Ahsh, como era chamado, entrou no amplo salão Muninah Numa (O Devotado Agradável) e o silêncio dos amplos aposentados e corredores que atravessara deu lugar a uma imensa balbúrdia. Uma gama infinita de cores, sons, perfumes e vozes encheu o ar como um Bazaar de grande cidade. A diferença era a impecável organização, limpeza e qualidade dos produtos.

Diminuindo o passo, conseguiu roubar um pêssego “coração de veludo” e duas tâmaras adocicadas. Ainda de boca cheia se aproximou da respeitada Kamilah e recuperando o fôlego esticou a mão:

- Ufa.... “Azeeza”, aqui está – o olhar da dama suprema, condutora da cozinha superior do palácio apenas fitou o objeto. Limpando a mão no avental de linho de Umaga e deixando escapar um sorriso maroto, ela o abriu.

- Parabéns Ash – disse docemente – vejo que cumpriu bem a missão.
Dando uma piscadela fez vista grossa as bochechas cheias do jovem que ainda tentavam mastigar pedaços do pêssego.

- “Azeeza” – tentou Ash - o que será hoje? Ouvi dizer...

Ela o interrompeu. - Você não ouviu dizer nada entendeu? – fitou-o severamente.

Ash mastigou e engoliu em seco. Sabia que jamais deveria perguntar nada sobre quem quer fosse convidado a se alimentar no palácio, quanto mais na presença do Califa ou de parte da côrte.

Kamilah chamou suas assistentes diretas, Zakkyah e Manal e lhes passou a tarefa de seguir o que a lista dizia. A Grande Universidade já havia descrito o que os convidados gostavam de comer tanto no desjejum quanto ao longo do dia, seja em que refeição fosse. As receitas deveriam conter o que houvesse de melhor naquela lista.

Ash olhava admirado o trabalho frenético da cozinha. O amplo salão era dividido em setores, e nestes especiarias diversas eram lavadas, cortadas, fatiadas, abertas, cozidas, preparadas e enfeitadas. Ao fundo, separado dos demais ocupantes do aposento ele apenas via a movimentação dos iluminados que faziam as refeições mais importantes. Os pratos sagrados do Grande Califa. Por breves segundos ele fitou os 4 provadores oficiais descansando em suas almofadas no salão de inverno, mas no fundo não desejou ser um deles.

Olhando para Kamilah com olhar de jovem amigo ele arriscou de novo:

- Dizem que há dois grupos certo? E os dois fizeram viagens incríveis.

Ela o olhou em silêncio. Rapidamente apontou com a cabeça o corpulento Jumaletaer, o açougueiro que naquele instante cortava com o cutelo línguas de boi em pedaços.

Ash calou-se.

Após algum tempo, que para Kamilah pareceu uma eternidade diante da desolação artisticamente representada pelo jovem, antes de sair com um pote de damascos frescos na mão, ela se aproxima de Ash e beija-lhe o rosto suavemente. Um agradecimento a sua sempre disposição em procurar ser o mensageiro mais eficiente da copa.

E um susurro, carregado de mensagens de discrição, espalha a luminosidade do sol do Grande Deserto da Bigorna na curiosidade do jovem esforçado:

- São dois grupos sim. Um subiu das profundezas Ash, o outro desceu dos céus.

E Ashed cospe um damasco.

Crônicas de Abytter
O Refúgio da Gula
Livro ???

Avatar do usuário
EagleSky
Mensagens: 187

Re: O Refúgio da Gula

Mensagem#2 » 28 Dez 2012, 11:09

Bom demais.

"Em sua corrida ritmada e segura, abusava de sua autorização e chegou a pular a lendária “Salma”, tartaruga adorada do palácio. Um dos Mamluks riu em silêncio."

Adorei isso. :b

Avatar do usuário
Pedroplanes
Mensagens: 144
Contato:

Re: O Refúgio da Gula

Mensagem#3 » 28 Dez 2012, 11:14

Opa, mais um conto legal destas mil e uma noites do jogo mais antigo do planeta.
:laugh:

Claro que algumas infos são internas e não entendemos tudo, mas me parece que algo grandioso acontecerá.

- Dizem que há dois grupos certo? E os dois fizeram viagens incríveis
.
Gênios? Caras como este cenário deve ser foda.
Andando e rolando dados.
http://blogdoandarilho.blog.uol.com.br/

Avatar do usuário
DragonSun
Mensagens: 466
Contato:

Re: O Refúgio da Gula

Mensagem#4 » 28 Dez 2012, 14:40

EU QUEROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
Até ofereço `casa de praia` em Maricá.

:pidao:

Avatar do usuário
Trogo
Mensagens: 248

Re: O Refúgio da Gula

Mensagem#5 » 02 Jan 2013, 08:54

Infelizmente não pude ver o capitão como no ano passado na virada então ele acabou fugindo de minhas dezenas de perguntas sobre esta campanha épica . :hmmm: Por enquanto...

Mas na boa, o que estão esperando para sei lá, abrir um blog dedicado a ela?
Eu disse uma vez e repito, cara não há nada no país neste modo, neste estilo e com esta dedicação e frequência. O que estão esperando?

Avatar do usuário
Leprechau
Mensagens: 151

Re: O Refúgio da Gula

Mensagem#6 » 02 Jan 2013, 09:30

Acho massa demais estes contos mas acho que vocês deveriam criar um tópico meio que um "guia` saca? A aventura é grande pacas e ficamos meio perdidos no contexto geral. Show.

Avatar do usuário
Joaosacs
Mensagens: 191

Re: O Refúgio da Gula

Mensagem#7 » 14 Jan 2013, 15:52

Tá mesmo percebendo que está cheio de referências pessoais a um enredo que só vocês conhecem, é bem legal de ler.

Curti pacas a parte que meio que descreve a cozinha.
Imagem

Avatar do usuário
Nighwalker
Mensagens: 126
Contato:

Re: O Refúgio da Gula

Mensagem#8 » 14 Jan 2013, 19:03

Já pensaram em gravar uns vídeos, sei lá destas sessões? Ok, sei que pode ficar um resultado final estapafúrdio e ridículão mas ao menos os áudios? Tanta experiência deveria ser passada... :roll:

Avatar do usuário
FocaBranca
Mensagens: 160

Re: O Refúgio da Gula

Mensagem#9 » 17 Jan 2013, 14:28

Eu acompanho e curto pacas.

Avatar do usuário
Pedroplanes
Mensagens: 144
Contato:

Re: O Refúgio da Gula

Mensagem#10 » 17 Jan 2013, 14:43

Eu também e saco que o rpoblema de vocês é total falta de tempo , certo?
Mas sei lá, deixem alguém então acompanhar para escrever... :tsc:
Andando e rolando dados.
http://blogdoandarilho.blog.uol.com.br/

Avatar do usuário
Soul-lyryc
Mensagens: 59

Re: O Refúgio da Gula

Mensagem#11 » 25 Jan 2013, 14:55

Preciso de um índice...
Mandem bem em nos passar um poquinho do que rola.

Avatar do usuário
Gomora
Mensagens: 20

Re: O Refúgio da Gula

Mensagem#12 » 19 Abr 2013, 14:07

Eu vi claramente os aposentos descritos. Na verdade acho que descrições assim dão o tom da campanha. No caso de vocês acho que já devem ter visto centenas de gravuras temáticas e já enchergam o meio ambiente como sendo algo árabe certo?
A narrativa nos lembra também que toda ação é precedidad de acontecimentos pretéritos que ricos na mente dos mestres e jogadores permitem a construção do todo. Parabéns galera.

Voltar para “As Crônicas de Abytter”

Quem está online

Usuários neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante