Fight From The Inside - Dia 1

Tales from the Sails. Need I tell you more, you sea weasel?

Moderadores: ronassic, Stephan, Feral, Holygriever, Moderadores

Avatar do usuário
Stephan
Mestre de PBF
Mestre de PBF
Mensagens: 237
Contato:

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#1 » 15 Mai 2013, 16:11

(pré-capítulo 4)

A hora tinha chegado. Todos estavam reunidos. O espaço fora criado. Meia-Noite estava sendo observado, e os outros presentes aguardavam o gigante falar como a coisa iria funcionar.

Hora de deixar o Velho Jack orgulhoso.

[OFF]:

Holygriever escreveu:"O esquema para postagens neste tópico vai ser um pouco diferente. É um Clube da Luta, então, obviamente vai haver lutas. Porém, se formos rolar cada combate passo-a-passo, o negócio vai ficar moroso e arrastado, além de ser (ainda mais) um trabalho enorme pro Stephan. E esse tópico não é pra dar trabalho, é pra brincar de roleplay. Então, quando forem postar alguma ação, quando forem começar uma luta, Façam assim:
Postem um resumo das ações e manobras a serem empregadas, e a postura geral de combate. Algo como "Leon estava empolgado para a luta. Sentia-se energizado e com os pés leves. Ele escolhe se valer de sua agilidade, e emprega fintas e manobras evasivas para confundir o oponente e então atacá-lo de maneira rápida e feroz ao encontrar uma abertura." Pode desenvolver mais, mas o modelo é esse. Com esse tipo de descrição, o Stephan vai saber que Habilidade está sendo empregada em luta e vai fazer algumas rolagens básicas pra adicionar o Acaso à fórmula, e vai saber descrever o resultado.

D'accord? LET'S FIGHT!"
Última edição por Stephan em 15 Mai 2013, 21:26, editado 1 vez no total.
"O homem de bem exige tudo de si próprio; o homem medíocre espera tudo dos outros."

- Confúcio

Avatar do usuário
Holygriever
Mensagens: 233

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#2 » 15 Mai 2013, 19:21

Meia-Noite saúda os primeiros novatos a chegar com um meneio de cabeça enquanto termina de afastar os últimos barris. A um canto estavam as botas, camisa e colete de Meia-Noite, e em cima de um barril escuro estava uma bacia de água fresca, e na caixa ao lado algumas toalhas limpas. Meia-Noite havia preparado esse material de antemão, e era só o que iriam precisar.

Após acabar de afastar os barris, o grandalhão se senta à base do mastro próximo, de frente para a porta. Após Alber chegar, ele olha para Leon:

- Falta alguém? Não? Então formem uma roda.

Imaginando por que o rapaz não havia chamado os dois irmãos, Meia-Noite fica de pé, conta quantas pessoas compareceram, e então pigarreia:

- Muito bem. São vocês cinco então. Antes de mais nada, Meia-Noite precisa avaliar mais ou menos o que vocês sabem e o jeito que vocês lutam.

Ele anda até o meio da roda.

- Então podem vir. Os cinco. Podem bater de verdade, e não se preocupem: como ainda tão aprendendo, por enquanto o Meia-Noite não vai revidar.

Ele se coloca em posição de combate, braços abertos ao lado do corpo, pernas afastadas, mas firmes no solo. Caso haja hesitação geral do grupo, ele segue:

- Tão esperando o que? O Meia-Noite partir pra cima de um? Vamos!

----------------

[OFF:]

Stephan, como a gente abriu esse tópico estritamente pra brincar de roleplay, eu não acho que você vá querer rolar as lutas, eh? A gente descreve o que vai fazer e a ação pode ser resolvida arbitrariamente por você mesmo, tipo aquele post do Meia-Noite versus Velho Jack. Alguém se opõe?

Então, como dito, Meia-Noite não vai revidar. Vai apenas observar cuidadosamente os atacantes, se esquivar, fintar e, ocasionalmente, passar uma rasteira ou dar um empurrão. Se ele começar a apanhar, vai ficar bem satisfeito e após algumas porradas boas, vai mandar parar. Se não, após uns 3~4 minutos ele manda parar.

OBS 1.: Por favor, decorem: [url=http://bobagento.com/conheca-as-regras-do-clube-da-luta/]http://bobagento.com/conheca-as-regras-do-clube-da-luta/[/url]


OBS 2.: Posição do Meia-Noite:

[img]http://wtf.tekken.com/assets/img/playercard/craig-marduk.png[/img]


OBS 3.: A propósito, se alguém ainda não havia verificado, estamos ao fundo (13).

[img]http://a.yfrog.com/img21/3762/mtcm.jpg[/img]
Última edição por Holygriever em 15 Mai 2013, 19:50, editado 1 vez no total.
"Você tem medo do Escuro? Pois deveria."

Meu amor, o meu chão, onde deixei a paixão...
Não me importo, vou voar, o céu você não vai levar...

Leve-me à escuridão, diga que não me verão...
Queime a terra, ferva o mar, o céu você não vai levar...

Serenity a viajar, não há lugar melhor que o lar...
O céu você não vai levar...

Avatar do usuário
Feral
Mensagens: 140

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#3 » 15 Mai 2013, 20:52

[Meia-Noite] - Falta alguém? Não? Então formem uma roda.

Nossa... E não é que a idéia do grandão realmente colou? Estavam quase todos aqui, nesse pequena reunião de testosterona. Qualquer que fossem seus motivos, de treinar ou distribuir pancadaria, todos estavam ali com mais ou menos um propósito em comum: lutar.

[Meia-Noite] - Muito bem. São vocês cinco então. Antes de mais nada, Meia-Noite precisa avaliar mais ou menos o que vocês sabem e o jeito que vocês lutam.

Kyjal já tinha visto a proeza em combate do grandão, mas... os cinco?

[Meia-Noite]- Então podem vir. Os cinco. Podem bater de verdade, e não se preocupem: como ainda tão aprendendo, por enquanto o Meia-Noite não vai revidar.

...Ou ele é bem mais forte do que teve a chance de mostrar até agora, ou ele tem realmente muita confiança em si mesmo. Provavelmente um pouco das duas coisas, na verdade.

Ainda assim, isso deixa Kyjal na dúvida durante alguns instantes.

[Meia-Noite]- Tão esperando o que? O Meia-Noite partir pra cima de um? Vamos!

...É, fazer o quê?

O felino tira a sobrecapa vermelha que ganhara de Fesper, e a coloca em cima de um outro barril, de preferência um de conteúdo não-fedido. Em seguida alonga um pouco os braços e o pescoço, em seguida as pernas com alguns pequenos saltos sem sair do lugar.

Kyjal finca os dois pés digitígrados no chão, arrasta o pé direito para trás, e acelera no que parecia ser uma investida direta contra o grandalhão.

...Porém na frente dele, Kyjal se joga de costas no chão e desliza abaixo dos pernões em base aberta, grandes o suficiente para que o felino passasse por ali sem dificuldades (esperava). Ao passar de seu alvo, crava as garras de uma das mãos ao chão, para conseguir se virar para as costas do alvo, e desfere dois chutes, um atrás de cada rótula do grandão, com força apenas suficiente para derrubá-lo.

[[Se a manobra der certo:]]

O felino aproveita a queda do grandão para saltar e aterrisar com um pé no alto das costas de Meia-Noite, pouco abaixo de seu pescoço. Ele então se agacha, dá duas cutucadas no ombro de seu adversário, e então salta para trás novamente, fora do campo de visão imediato dele.

...E enquanto isso... uma estranha memória insistia em tentar voltar...

Avatar do usuário
Samiel_Fronsac
Mensagens: 184

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#4 » 19 Mai 2013, 21:33

§ Leon não perde tempo. Parte para cima do colega com um impulso, como querendo se chocar contra ele e no último segundo se deixa cair, rola por sobre o ombro esquerdo, ficando posicionado no limite do campo de visão de Meia-Noite. §

[Leon] Podemos começar?

§ Age sem piedade, como pedido, procurando acertar na altura do rim com um soco, em seguida mudando para um chute no joelho, visando dobrá-lo para desequilibrar, e depois saltando para sua esquerda, se pondo diretamente ás costas do gigante. §

[Leon] Hey Kyjal, você por aqui?

§ Posiciona-se ao lado do felino que, como ele, tenta tirar vantagem do ponto cego. §

---

OFF: Soco no rim é Ataque Furtivo. Só dizendo.
Última edição por Alta Vista [Bot] em 19 Mai 2013, 21:35, editado 1 vez no total.

Avatar do usuário
Rodwolf
Mensagens: 180

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#5 » 20 Mai 2013, 23:40

Como combinado, na seção mais profunda do navio, à meia-noite (a hora) o sacerdote se encontrava presente para o evento, juntamente de cinco de seus companheiros.

Sua armadura, escudo e espada encontravam-se guardados em seu baú pessoal ao pé de seu beliche. Não estava sua usando capa ou túnica, ao invés disso vestia roupas comuns de marinheiro, confortáveis e que permitiam uma boa mobilidade. Calças e uma camisa rasgada nas mangas, optou por treinar descalço. Não se parecia nada com um clérigo, e a perspectiva o fazia lembrar um pouco de seus tempos no navio mercenário de seu tio. Uma poderosa voz quebra o devaneio.


- Falta alguém? Não? Então formem uma roda.

- Muito bem. São vocês cinco então. Antes de mais nada, Meia-Noite precisa avaliar mais ou menos o que vocês sabem e o jeito que vocês lutam.

- Então podem vir. Os cinco. Podem bater de verdade, e não se preocupem: como ainda tão aprendendo, por enquanto o Meia-Noite não vai revidar.

Evans fica um pouco hesitante com os planos de Meia-Noite, embora soubesse que o gigante agüentaria as investidas. Esperava em algum momento sentir o peso dos golpes do gigante e dos outros, pois uma das intenções do clérigo de Kelemvor, era se tornar um escudo mais resistente para proteger seus amigos e seu credo.

[Meia-Noite]- Tão esperando o que? O Meia-Noite partir pra cima de um? Vamos!

[Evans] Geralmente quando ataco ou ataquei alguém na minha vida, mesmo nas brigas de taverna, a pessoa ou criatura, me atacou primeiro e revidava...

Kyjal e Leon tomaram a iniciativa e já lançavam seus movimentos contra o que parecia afinal, o mais novo treinador do Clube da Porrada.

[Evans] Mas vamos pelo treino!

Após Leon e Kyjal completarem seus movimentos, o padre lança-se frente a frente com Meia-Noite, desferindo o primeiro soco, fazendo uma finta inclinando o corpo num último segundo tentando atingir o estomago do adversário com precisão e botando todo o peso do corpo para desferir um golpe com toda a força.

-----------------------------------------------------------------------------------

off Nada especial o golpe, só uma tentativa de combinar destreza e força.
"I'm a Priest, not a Saint."

Avatar do usuário
Stephan
Mestre de PBF
Mestre de PBF
Mensagens: 237
Contato:

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#6 » 22 Mai 2013, 11:26

O gato veio primeiro. Depois, o ladrão. E logo antes de Evans, veio Tomme. Alber veio por último.

O felino e o ladrão tinham os golpes mais precisos, e reagiam mais rapidamente. Evans tinha boas ideias no meio do combate. Tomme era veloz, mas estava com dificuldades para achar um bom ponto de ataque por causa do número de atacantes. Alber, por último, quase tira Meia-Noite do chão com sua força.

O espancamento era extremamente caótico. O gigante de ébano apenas posicionava corretamente seu corpo para absorver os piores golpes, mas Kyjal e Leon estavam atrás de si, impedindo que conseguisse antecipar corretamente as porradas. A primeira pontada de dor no rim acorda Meia-Noite.

Empurrões colocam atacante em cima de atacante, mostrando que o grandão realmente tem experiências em brigas de taverna. A maior parte dos golpes ele aguentava. Alber complicava as coisas, e em pouco tempo, Meia-Noite começa a sentir os golpes dos outros. Ao todo, são dois minutos e meio de pancadaria até que o lutador comece a sentir um cansaço inicial. E uma frase de Jack veio à sua mente:

[Jack] Esses putos batem pra valer, ma se balançam como se fossem bobos dum rei.
Última edição por Stephan em 22 Mai 2013, 11:40, editado 1 vez no total.
"O homem de bem exige tudo de si próprio; o homem medíocre espera tudo dos outros."

- Confúcio

Avatar do usuário
Holygriever
Mensagens: 233

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#7 » 22 Mai 2013, 13:54

Foi rápido. Foi imprevisto.

Foi maneiro pra caramba.

-----------

Foi mais ou menos do jeito que Meia-Noite imaginou. Os mais magrelos foram mais rápidos, o mais forte veio por último. Talvez tenha sido uma má idéia chamar todos pra dançar ao mesmo tempo, porque a multidão fez com que fosse difícil dar os passos certos, especialmente por causa do ruivo grandão.

Chutes nas pernas e uma porrada no rim tiram do Meia-Noite o ar, o equilíbrio e um sorriso.

"Ah, os filhos da mãe são bons. Mas ainda tem MUITO o que melhorar. Isso vai ser muito BOM!"

Após várias fintas, empurrões e porradas, o negrão estava começando a ofegar. Estava ficando divertido, e por duas vezes ele quase se deixou levar pela empolgação e aproveitou uma brecha para revidar. Quase.

Mas ele já tinha visto o que precisava ver.

"Acho que por agora já deu."

Com um giro rápido e repentino ele se joga pra fora da roda, ficando de frente para a mesma, palma direita erguida enquanto limpa o sangue do canto da boca com a mão esquerda.

- OK! Beleza, já deu. Haaah, deu pra ver que vocês batem pra dedéu! Muito bom, muito bom mesmo.

Ele limpa a garganta. Cospe um pouco de sangue.

-----------

- Senhores, bem vindos ao Clube da Porrada. O Clube da Porrada é uma coisa que Meia-Noite aprendeu a alguns anos, e ele te dá oportunidade de aprender a dar porrada do melhor jeito: dando porrada. As oito regras do Clube da Porrada são:

1. Você não comenta sobre o Clube da Porrada;
2. Você não comenta sobre o Clube da Porrada;
3. Quando alguém gritar "pára!", sinalizar ou desmaiar, a luta acaba;
4. Somente duas pessoas por luta;
5. Uma luta de cada vez;
6. Sem camisa, sem sapatos;
7. As lutas duram o tempo que for necessário;
8. Se for a sua primeira noite no Clube da Porrada, você tem que lutar.
-. E apesar de não ser uma regra, fica a recomendação de que se evite bater na cara, pra não ter que ficar respondendo perguntas depois.


Ele olha para todos, e continua:

- Kyjal, Leon. Vocês dois lutam de modo parecido, fintar e bater. E bater vocês sabem fazer BEM, especialmente você, Leon. - Ele passa a mão sobre o rim. - Aquela primeira finta, Kyjal, foi muito bem bolada, mas tava meio telegrafada. Me pegou desprevenido, mas ia funcionar melhor se o Meia-Noite já tivesse distraído com outra coisa. Vocês estão acostumados a ter um alcance maior por causa das facas que usam em combate, mas numa luta corpo-a-corpo a distância é ainda mais curta, e o oponente não vai ter medo de ser espetado, então tem que ser mais sutil nas fintas. Mexer os pés. Distrair o oponente com a mão.

- Tomme, gostei de ver a mobilidade. Tu é rápido, mas precisa pegar as manhas de como bater direito. Como fechar o punho direito. A maioria do que eu falei sobre fintas pros dois ali serve pra você também, viu.

- Evans, você é criativo. Tentou fazer finta, bateu forte... como é que o Jack falava mesmo... versátil! Mas tu tá acostumado com a armadura, com o espaço que ela ocupa na sua volta, precisa ajustar seu movimento de corpo sem ela, senão, seus movimentos ficam fáceis de prever.

- E tu, Alber. Seu sacana. Tu já sabe dar porrada, só veio aqui pra se divertir né? Cê luta parecido com Meia-Noite, usando a força, que é a melhor vantagem que tu tem. Bate bem, forte pra cacete, e com esse bração tem um baita alcance. Precisa só de uns ajustes, mas vai ser divertido treinar contigo.

-----------

Após se dirigir a todos, Meia-Noite volta para perto do mastro.

- O Meia-Noite não queria que a Capitã soubesse do Clube da Porrada por que não acha que ela ia gostar de saber que os marinheiros dela decidiram começar a dar porrada uns nos outros, mesmo que seja em um ambiente... amigável. O Clube da Porrada é um negócio rude. Um negócio meio bruto. Te deixa com roxos e dores no corpo. Mas ele faz você aprender a brigar, e faz você se sentir vivo. Se alguém não tiver a fim disso, ou não quiser participar de algo ?pelas costas da Capitã?, tá tudo bem, sem problemas. Só peço que não dedure o resto.

Ele então aguarda a reação dos presentes.
Última edição por Holygriever em 03 Jul 2013, 21:40, editado 1 vez no total.
"Você tem medo do Escuro? Pois deveria."

Meu amor, o meu chão, onde deixei a paixão...
Não me importo, vou voar, o céu você não vai levar...

Leve-me à escuridão, diga que não me verão...
Queime a terra, ferva o mar, o céu você não vai levar...

Serenity a viajar, não há lugar melhor que o lar...
O céu você não vai levar...

Avatar do usuário
Feral
Mensagens: 140

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#8 » 24 Mai 2013, 00:44

Tudo aquilo estava parecendo bem interessante...

Uma oportunidade pra aprender a brigar sem armas, com um especialista em danificar feições alheias, num ambiente onde ninguém quer matar ninguém? Quase perfeito. Só faltava saber as regras do jogo, e tudo ficava bem.

...E eis que Meia-Noite dita as regras.

Os ouvidos de Kyjal ouvem todas as regras claramente.

Mas sua mente pára na sexta regra. Não diz nada, mas imediatamente suas orelhas abaixam e sua feição muda um pouco, puxando levemente para surpresa e apreensão.

Após uns instantes perdido em mais flashes passando em sua memória, Kyjal leva o olhar à palma da mão aberta, e então o leva pelo braço semi-coberto por uma manga que cobria até pouco abaixo do cotovelo, e o resto do braço era visivelmente coberto em um conjunto de faixas de tecido.

Alguns segundos são perdidos olhando aquelas faixas, mas imediatamente o olhar volta ao grandalhão assim que o felino ouve o próprio nome. Ouve as explicações atentamente, e apenas responde com um aceno de cabeça, indicando que compreendeu tudo.

Interessante receber crítica construtiva ao seu estilo de luta. Nunca tivera a oportunidade, e admitia: não era algo fácil sequer de conceber. Alguém que aceita ser surrado só para poder te ensinar a surrar melhor? Nem mesmo os mais loucos que vira em suas viagens sugeririam aquilo ao felino.

E então vêm os esclarecimentos finais. O grandão parecia realmente empolgado com essas coisas.

[Meia-Noite] O Clube da Porrada é um negócio rude. Um negócio meio bruto. Te deixa com roxos e dores no corpo. Mas ele faz você aprender a brigar...

...e faz você se sentir vivo.

Kyjal não ouvira aquela última frase na voz de Meia-Noite. De dentro de suas memórias, uma voz feminina pronunciava aquelas mesmas palavras. Uma voz que ele até havia ouvido um tempo atrás, na semana em que começou essa confusão toda.

...Péssimo momento para essas memórias ficarem voltando.

Ao final da explicação final de Meia-Noite, normalmente Kyjal já partiria para a pergunta "quando começamos de verdade?". Mas ele sabia que essa pergunta levaria ao problema de confrontar a regra 6...

...E então preferiu hesitar. Se mostrava animado, mas preferiu esperar que alguém mais se pronunciasse primeiro, ou dirigisse a palavra a ele.

Kyjal não sabia se estava tentando pensar numa solução ou apenas adiar o inevitável.

Bom, descobriria em breve.
Última edição por Feral em 03 Jul 2013, 21:38, editado 1 vez no total.

Avatar do usuário
Samiel_Fronsac
Mensagens: 184

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#9 » 25 Mai 2013, 23:16

§ Leon enxuga o suor frio na testa. Aquilo não podia ser chamado de "combate", mas fora uma escaramuça rápida e intensa. Se Meia-Noite revidasse, teria que colocar Kyjal entre eles e rezar para que o colega fosse bom escudo. §

[Leon] Observe desse ângulo - se aquilo fosse uma adaga ao invés de um soco, você estaria com um rim a menos e rezando para o Evans não decidir te "encaminhar". § Risada. § Você tem razão quanto à questão do alcance. Mas vou trabalhar nisso. Contanto que não seja encarando o Alber; deixa ele para seu sparring.

§ Presta atenção então no conjunto de regras exposto; nenhum problema em aceitá-las, as mesmas sendo muito razoáveis. Nenhum problema em manter segredo, lutar sem camisa, sapatos ou com as regras de derrota; apenas ressalta o óbvio. §

[Leon] Bem, como eu já disse a você e outros dois aqui, a capitã vai descobrir o esquema, isso é inevitavel. É uma questão de "quando" e "quanto"; quando ela vai decidir aparecer aqui pra chutar nossas bundas, e o quanto ela vai chutá-las antes de cansar. Mas já estou conformado com a ideia. Se alguém mais não estiver, Meia-Noite já falou...

§ Olha em volta, observando se alguém parece muito incomodado com a situação. §
Última edição por Alta Vista [Bot] em 25 Mai 2013, 23:19, editado 1 vez no total.

Avatar do usuário
Rodwolf
Mensagens: 180

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#10 » 30 Mai 2013, 22:11

O grandalhão tinha agüentado e recebido ali uns bons golpes. Golpes poderosos, uns mais que outros. Uns mais bem colocados que os outros.

Evans escutava atentamente os conselhos de Meia-Noite, especialmente quando este falou sobre desempenho do clérigo.

- Evans, você é criativo. Tentou fazer finta, bateu forte... como é que o Jack falava mesmo... versátil! Mas tu tá acostumado com a armadura, com o espaço que ela ocupa na sua volta, precisa ajustar seu movimento de corpo sem ela, senão, seus movimentos ficam fáceis de prever.

Sim, Meia-Noite não dito nenhuma mentira ali, o padre sabia dessa sua limitação e focaria primeiro em corrigir isso. O quanto antes, afinal, sabia que a coisa iria esquentar dali pra frente.

O receio e discussão agora era sobre a Capitã, se ela descobrisse.

[Evans] Eu também acredito que uma hora ela vai descobrir. Mas estou nisso, não pretendo parar, a não ser que por algum motivo não me aceitem mais. E quanto a Capitã, estamos nisso juntos. Tomo total responsabilidade por minha parte, você não começou isso sozinho, Meia-Noite.

Por um momento olha sério e fala para todos.


[Evans] Todos aqui são bem grandinhos e responsáveis, e vieram por suas próprias escolhas.

Depois sorri, pois já conhecia o caráter de todos ali e sabia o potêncial de irmandade do Clube da Porrada.
"I'm a Priest, not a Saint."

Avatar do usuário
Stephan
Mestre de PBF
Mestre de PBF
Mensagens: 237
Contato:

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#11 » 31 Mai 2013, 14:44

Tomme escuta as dicas de Meia-Noite com atenção, olhando para o punho esquerdo enquanto abre e fecha os dedos e movimenta o pulso. Alber, de braços cruzados, só só solta um "heh". Quando Leon menciona que a capitã vai descobrir os outros só concordam com a cabeça.

Tomme e Alber tiram suas camisetas e sapatos. O mais magro reclama um pouco do frio, mas o ruivo estava tranquilo. Com alguns minutos de pancadaria acumulados, o local ficaria abafado o suficiente para aquecer o local. Até lá, cada porrada doeria muito mais.

E então, silêncio, enquanto todos se olham, esperando alguém falar ou fazer alguma coisa.
"O homem de bem exige tudo de si próprio; o homem medíocre espera tudo dos outros."

- Confúcio

Avatar do usuário
Holygriever
Mensagens: 233

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#12 » 01 Jun 2013, 17:09

- É? Todo mundo dentro então? Excelente...

Meia-Noite olha ao seu redor, satisfeito. Todos a bordo, Alguns pareciam ter certeza absoluta de que a capitã os descobriria. Meia-Noite não fala nada, mas achava que, se tomassem os devidos cuidados, poderiam evitar uma descoberta prematura. E com seis membros no clube, esses cuidados podiam ser tomados com uma certa facilidade.

- Beleza então. Leon, você é o braço direito da Capitã. Se ela der algum sinal de desconfiança, cê avisa a gente numa reunião, beleza?

O negrão estrala o pescoço para o lado.

- É a primeira noite de todos no Clube da Porrada, então, pelo menos hoje, todo mundo vai ter que lutar. Podem se voluntariar pra ver quem começa. Menos você, Alber.

Ele anda até o ruivo.

- Fora o olho atento do Leon lá fora, a gente vai precisar de alguém vigiando aqui do outro lado da porta. A latrina é logo ali, vocês sabem. Então, cê fica ali fora, e caso alguém apareça descendo as escadas, cê finge que tá mexendo nuns barris ali e faz barulho pra gente se aquietar. Se te perguntarem o que tá fazendo, diz que tu veio pra latrina e pensou ter visto alguma coisa se mexendo, um rato, sei lá. Quando for a sua vez de lutar, alguém te substitui. Pode ser pra você?

Ele se vira aos demais.

- E então, quem começa? Leon e Kyjal? Tomme e Evans? Hm?

Ele se apóia ao lado da porta e aguarda.
"Você tem medo do Escuro? Pois deveria."

Meu amor, o meu chão, onde deixei a paixão...
Não me importo, vou voar, o céu você não vai levar...

Leve-me à escuridão, diga que não me verão...
Queime a terra, ferva o mar, o céu você não vai levar...

Serenity a viajar, não há lugar melhor que o lar...
O céu você não vai levar...

Avatar do usuário
Rodwolf
Mensagens: 180

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#13 » 02 Jun 2013, 14:10

O mais sábio e tático seria esperar, deixar os outros lutarem, estudar o estilo e ânimo de cada um. Mas era o primeiro dia, e todos lutariam. Então porque não?

- E então, quem começa? Leon e Kyjal? Tomme e Evans? Hm?

As regras passavam por sua cabeça "Sem camisa, sem sapatos", o sacerdote já não usava naquele momento nenhum tipo de calçado e agora tirava a camisa batida e rasgada nas mangas a jogando num canto e dando dois passos a frente.

[Evans] Se não houver nenhum problema, eu estou a disposição e pronto para começar.

Calmamente espera resposta dos demais e o sinal de Meia-Noite.
"I'm a Priest, not a Saint."

Avatar do usuário
Samiel_Fronsac
Mensagens: 184

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#14 » 03 Jun 2013, 00:32

§ Apenas observa calmamente, os braços cruzados, prestando atenção ao planejamento preciso, e engraçado, do gigante Meia-Noite. Então Evans se oferece para ser o primeiro a lutar mano-a-mano... Leon não podia deixar por menos. Preparar, apontar... §

[Leon] Que os jogos comecem então, pastor.

§ Tira a camisa, dobra, e ajeita junto com os sapatos num canto do porão. Dobra a barra das calças duas vezes, deixando na altura do meio da canela, e prende o cabelo desgrenhado com uma faixa, para não atrapalhar a visão, dizendo a seguir: §

[Leon] Meia-Noite, faça as honras.

§ Caminha até o centro da roda, põe-se em base de combate, com o corpo parecendo relaxado, mas pronto a saltar em um instante, meio de lado, com a perna esquerda à frente, o punho esquerdo baixo e a mão direita à altura do rosto. §

Avatar do usuário
Holygriever
Mensagens: 233

Fight From The Inside - Dia 1

Mensagem#15 » 03 Jun 2013, 06:25

Meia-Noite sorri. Eles pareciam empolgados.

- Senhores... que Tempus os abençoe. Tá na hora da Porrada.

Com um sinal de mão, Meia-Noite marca o início da primeira luta da primeira noite do Clube da Porrada.
"Você tem medo do Escuro? Pois deveria."

Meu amor, o meu chão, onde deixei a paixão...
Não me importo, vou voar, o céu você não vai levar...

Leve-me à escuridão, diga que não me verão...
Queime a terra, ferva o mar, o céu você não vai levar...

Serenity a viajar, não há lugar melhor que o lar...
O céu você não vai levar...

Voltar para “Worn Sails, Old Tales”

Quem está online

Usuários neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante