[BLOG] Sete Pecados Capitais de Construção de Mundos

Aqui serão postadas as entradas do Blog e podemos criar discussões sobre elas.

Moderador: Moderadores

Avatar do usuário
ronassic
Administrador
Mensagens: 1776
Contato:

[BLOG] Sete Pecados Capitais de Construção de Mundos

Mensagem#1 » 20 Ago 2014, 12:27

This is a blog post. To read the original post, please click here »

Estou escrevendo alguns contos, e tenho lido bastante sobre Construção de Mundos, esta é uma parte essencial de qualquer obra de ficção. Mas, especialmente para a ficção científica ou fantasia, é a força vital dos contos. Quando a construção do seu mundo falhar, destruirá toda sua história, deixando seus personagens se sentindo inúteis. Aqui estão os sete pecados mortais da construção de mundos. Imagem

  1. Não pensar em infra-estrutura básica.
    O que eles comem? Como eles vivem? De onde eles vêm? Sexta-feira, no Globo Repórter! Ops...Mas sério, pensem bem, quem tira o lixo? Quem lida com seus resíduos corporais? Como é que eles se locomovem? O que a maioria das pessoas fazem para sobreviver? Você não está trabalhando apenas na construção de uma sociedade, você está criando uma economia. As pessoas não oprimem o próximo para se divertir (não geralmente), os sistemas de hierarquia e opressão têm um componente econômico que realmente faz diferença. Talvez você precise de um monte de camponeses para o cultivo, com trabalho árduo e intensivo, ou talvez você precise de muita carne, para suprir a necessidade dos vorazes dragões usados como montaria. Quem sabe sua única fonte de proteína é um fungo estranho que precisa ser cuidado por pessoas especialmente treinadas. Ou todo mundo tem uma dieta baseada em algas. Em todo caso, não há nada pior do que um mundo ficcional onde existem estruturas sociais elaboradas, que parecem completamente separadas das realidades de comida, abrigo e roupas.Imagem
  2. Não explicar o(s) motivo(s) dos atuais eventos ocorrerem agora.
    Sua história gira em torno de seres das trevas saindo das profundezas em seu mundo ficcional (Ou a sua versão fictícia do mundo "real")? Uma grande falha de construção de mundos seria não saber explicar por que essas criaturas estão andando por aí agora, ao contrário de 20 anos atrás. Por qual motivo um exército de elfos negros estão aparecendo agora? Havia algo impedindo-os de aparecer antes, o que foi removido? Seria tarde demais se esperassem por mais um ano ou dois para saírem das trevas? Algum personagem teve alguma participação especial nessa mudança? Muitas vezes, seu enredo está cambaleando feito um bêbado louco, por razões puramente arbitrárias, e se nada coerente logo vier à tona, realmente será uma falha de construção do mundo. Você não precisa explicar totalmente coisas que mantiveram seu vilão escondido até o momento, e provavelmente também para os fatores que mantêm outros atores políticos em sua sociedade com um menor foco também. E isso é um problema maior - toda sociedade tem freios e contrapesos. Mesmo uma monarquia absoluta tem linhas invisíveis que o monarca não pode atravessar. Às vezes você não consegue descobrir como esses mecanismos funcionavam numa determinada época, sem afetar a história oficial trazendo a tona toda uma nova trama.Imagem Relacionado à isto, se você está recorrendo à história da vida real, para o seu mundo de fantasia ou a sua história futurista, não basta ler obras de historiadores da cultura dominante, ou trabalhar com foco na classe dominante. Os historiadores têm feito um trabalho incrível em descobrir o que as pessoas comuns e grupos marginalizados estavam fazendo durante uma série de épocas, e há uma abundância de recursos sobre o que estava acontecendo, digamos, na Idade Média fora da Europa Ocidental. Na medida em que você confia na história real da sua construção de mundo, você deve ir além dos reis e nobres de alguns países ocidentais.
  3. Criação de versões ficcionais de grupos étnicos humanos da vida real, que nunca vão além de uma dimensão.
    Este é um problema enorme que toneladas de criadores parecem lutar. Mas, como regra geral, se você quiser ter belgas em sua história, você vai ter que tentar criar uma visão precisa da sociedade belga. Se você decidir que, em vez dos belgas, você vai ter uma espécie alienígena chamada os Bzlgizns - que são, basicamente, os belgas, exceto que eles têm chifres - você ainda tem que tentar e fazê-los bem acertados e com tonalidades e nuances que os façam ter personalidade própria. Se você está criando um mundo secundário, onde há uma terra de criaturas mágicas chamadas Os Belges, que ainda são basicamente os belgas, tome cuidado. Realmente, você deve se certificar de que qualquer grupo cultural ou étnico que criou têm múltiplas dimensões e uma sensação de que os seus membros têm a sua própria subjetividade, e uma cultura crível, ainda mais se essa é a cultura que seus personagens principais vivem ou de onde vieram, ou uma cultura que eles vêem como o "outro". Mas também é uma boa regra de ouro que, quanto mais o seu grupo fictício assemelha-se aos belgas da vida real, mais você deve se preocupar em ser fiel à realidade. Mudando "belgas" para "Bzlgizns" na verdade, vai perder o gancho para apresentar um retrato fiel da vida de pessoas da Bélgica.Imagem
  4. Criar Grupos Sociais, Políticos, Religiosos e Culturais Monolíticos.
    Todo mundo em um determinado grupo étnico concorda com tudo. Cada membro da classe dominante, ou a classe trabalhadora, concorda com tudo. Todos os cidadãos de uma nação em particular tem exatamente o mesmo conjunto de opiniões. Há uma versão da história que absolutamente todos concordam. Cada membro de uma religião interpreta os princípios da religião exatamente da mesma maneira. Isso soa plausível, certo? Talvez, se você nunca viveu entre seres humanos reais. Na vida real, se você tem três membros de um determinado grupo em conjunto, provavelmente vai ouvir quatro opiniões diferentes sobre a maioria das principais preocupações do grupo. Afirmar que todos os cristãos concordam em todos os assuntos de sua doutrina é provavelmente uma boa maneira de se equivocar de maneira absoluta. Então, quando você imagina a classe dominante de seu mundo, é seguro assumir que não há dois membros que concordem muito, e quando você recontar sua história ficcional, lembre-se de que é provável que ninguém concorde com o que realmente aconteceu. Às vezes, isso é necessário quando os grupos sociais retratados aparecem pouco e tem uma função secundária na sua trama, mas o ideal é que as personagens que apareçam na sua história tenham alguma individualidade, afinal é assim que acontece na realidade. Tentar dar aos seus personagens mais profundidade pode enriquecer o retrato dos grupos sociais, políticos, religiosos e culturais, o que vai deixar a criação dos personagens em geral mais divertida e interessante, já que você vai tirá-las de um substrato rico.Imagem
  5. Inventar uma história que é totalmente lógica.
    Num cenário imaginário, o lado mais forte sempre vence e as pessoas que estão no comando são sempre os descendentes das pessoas que estavam à frente há 100 anos atrás. Mas na vida real não é assim, a história está cheia de peculiaridades e acasos estranhos e pessoas poderosas, muitas vezes fazem enormes erros de cálculo que acabam por custar-lhes muito caro. Basta pensar sobre acasos estranhos como a Irlanda ser dividido pela metade, assim como a Coréia ou a Alemanha, por quase cinco décadas. Por que Brasília é a capital do Brasil, ao invés do Rio de Janeiro ou Pernambuco? Por que Portugal teve sua própria colônia na Índia até 1961? A história é estranha. E coisas que parecem inevitáveis em retrospecto tem probabilidade grande de terem desfechos adversos. Assim, uma história totalmente lógica nunca vai passar no teste de "cheiro". E por falar em cheiro...Imagem
  6. Não dar uma sensação real de ambiente, como o cheiro que fica depois da chuva.
    Essa pode ser uma das falhas mais corriqueiras, na criação de mundos, você pode passar horas e horas pensando sobre a história e cultura e costumes de sua terra imaginária, e como as pessoas interagem e as formas que os diferentes grupos religiosos e étnicos colidem. Mas se você não me faz sentir a sujeira debaixo das minhas unhas, então você ainda não criou um lugar real. Se o leitor não ficar um pouco tonto com o fedor do rio poluído, ou serem transportados pela beleza dos jardins de flores geométricas, então alguma coisa está faltando. Acima de tudo, deve haver alguns pontos, imagine bares, tabernas, criptas, espaçoportos, onde o leitor realmente se sentiria "em casa", imaginando-se pendurado lá, de forma real. O objetivo da construção de mundo não é apenas fazer um exercício de imaginação, mas serve também para dar um sentido ao lugar, todas as suas experiências de pensamento devem absolutamente resultar em algo vívido, realmente vivo.Imagem
  7. Introduzir algum superpoder, como uma mágica ou uma nova tecnologia, sem mostrar como realmente isso iria afetar a sociedade.
    Se o seu tom é: "É como o nosso mundo, a não ser por todos poderem ficar invisíveis à vontade", então você já fracassou. Porque se todo mundo pudesse ficar invisível à vontade, não seria nada parecido com o nosso mundo. Especialmente se esse poder não é passageiro, durando mais do que alguns meses. Se você está criando uma história alternativa ou um mundo secundário ou um futuro distante, a tecnologia ou o poder que você introduzir vai ter efeitos de longo alcance, e não apenas efeitos de primeira ordem.Imagem Usando "invisibilidade" como exemplo, você tem pessoas que o usam para espionar uns aos outros, mas você também tem um crescimento enorme em sensores de calor. Começamos a redefinir o conceito de privacidade, e a cultura pop seria maciçamente transformada. Haveriam formas de arte inteiras baseadas em torno de artistas invisíveis, e seria particularmente legal conseguir descobrir um intruso normalmente invisível à vista usando câmeras de segurança especiais. Você poderia ficar por horas imaginando todas as formas que o poder universal da invisibilidade iria mudar o mundo, e provavelmente ainda estaria apenas arranhando a superfície.

Acredito que estes erros também são muito comuns na criação de cenários e ambientações de jogos de RPG, assim como na literatura, mas se você levar em conta estas pequenas dicas, certamente irá criar algo original e cativante.

Adaptado do artigo:
http://io9.com/7-deadly-sins-of-worldbuilding-998817537
"O topo da inteligência é alcançar a humildade."

Voltar para “Blog”

Quem está online

Usuários neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante