Into Dreams

Não é só o D&D que merece respeito! Existem muitos outros sistemas bons, vários deles gratuitos. Aqui você pode conhecê-los!

Moderador: Moderadores

Avatar do usuário
Ennock_DarkSoul
Mensagens: 47

Into Dreams

Mensagem#1 » 10 Dez 2010, 17:23

Jogo polonês gratuito que descobri esta semana. Me interessou muito (mas sou suspeito, qualquer coisa que trabalhe sonhos me ganha rapidamente). Pode ser baixado, em inglês, no site oficial: http://www.wix.com/ninetongues/into-dreams

Uma grande tragédia se aproxima. Uma tragédia que pode resultar no fim da humanidade. E, assim como ninguém sabe que tragédia é essa, ninguém sabe como evitá-la. Mas a resposta pode estar na misteriosa transmissão onírica chamada Radio of Death. Algumas poucas pessoas tem a capacidade de ouví-la: os Sonhadores que mergulham fundo no subconsciente coletivo da humanidade para libertar as jóias de inovação e evolução chamadas Idéias, na esperança de, com isso, encontrar a Idéias capaz de evitar - ou, no mínimo, postergar - a Tragédia.

Os Sonhadores são pessoas comuns, com seus trabalhos, estudos e famílias, mas que salvam a humanidade dia após dia, em seus sonhos. Eles se reunem em grupos para realizar caçadas, aventuras pelos sonhos em busca das Idéias. Um Sonhador raramente tem chances de chegar até a Idéia por si só, pois cada um possui uma capacidade única para lidar com os sonhos, um Papel na caçada.

Os sonhos acontecem em sucessão, de forma a ser necessário passar por dois ou três sonhos para encontrar uma Idéia. Para sair de um sonho e chegar ao próximo, os sonhadores devem encontrar o portal e as chaves que o abrem. Os sonhos são resolvidos por cenas e a resolução das cenas dão as chaves aos jogadores. Uma cena (e sua resolução) pode ser qualquer coisa, desde estar em uma cozinha e precisar preparar um bolo até invadir um castelo de derrotar o terrível dragão. Sonhos sempre tem uma duração pré-determinada( em tempo off-game), passado este tempo, o sonho simplesmente acaba. Os sonhos são formados de quatro cores, que são os aspectos dos sonhos, são eles:
SPOILER: EXIBIR
Oneiros: O aspecto mágico, fantástico e de cor azul;
Primal: O aspecto mais selvagem, primitivo e de cor verde;
Mara: O aspecto pesadelar de cor vermelha;
Reflectio: O aspecto banal, cotidiano e de cor branca.

Estes aspectos são tanto usados para determinar como o sonho se comporta, escolhendo-se dois ou três para cada sonho, como para guiar a mêcanica, em que cada personagem tem certa quantidade de dados relacionados a cada cor (ou literalmente daquela cor). Os sonhos também podem aplicar modificadores às Habilidades dos jogadores (para refletir a natureza de um sonho específico. Por exemplo, em determinado sonho, os jogadores podem ser peixes, em outro, deuses)e causar compulsões (comportamentos específicos dentro de um determinado sonho) e efeitos (que podem ser qualquer coisa, nem são explicados no livro).

O sistema:
Cada personagem possui quatro Habilidades, quatro Ephemeras (uma para cada cor) e quatro Pigmentos (um para cada cor). Além disso, escolhem um Papel e uma Idade, bem como uma Razão. A Razão é apenas uma frase que descreve o motivo de a personagem participar das caçadas. A idade define a pontuação a ser distribuida na Habiulidades e no dream-self (conjunto de Ephemeras e Pigmentos), quanto mais velho melhores as Habilidades e mais restrito o dream-self. Além disso, cada categoria de idade (Criança, Adolescente, Adulto, Maturo e Velho) possuim um bônus prório, como os Adolescentes poderem refazer alguns testes e os Maturos sempre começarem um sonho em posse de uma chave.

As Habilidades são Body (capacidades físicas gerais), Lore (capacidades mentais gerais), Skill (habilidade manual ou capacidade de realizar feitos que requerem trinamento, como dirigir)e Insight (criatividade e rapidez de pensamento). A pontuação a ser distribuida varia entre 16 e 18, e quanto menor o valor da habilidade, melhoe ela é. As rolagens são feitas com paradas de dados, todos D6, e são considerados sucessos os dados que mostrem números iguais ou maiores que o valor da Habilidade.

O Dream-self é o conjunto de Ephemeras e Pigmentos. Pigmentos são dados coletivos usados para fazer os testes, e são separados em cores. No início de cada sonho, soma-se os Pigmentos de todos os jogadores como dados na Dreampool, e a cada teste os jogadores vão utilizando esses dados e os descartando. As Ephemeras são dados, também divididos em quatro cores, usados para Sonhar. Pode-se Sonhar com mudanças no sonho atual, gastando-se dados, ou com elementos comletamente novos, ganhado mais dados para a Dreampool.

Dream State:
Determina o quanto a personagem está imersa no sonho. Funciona como Níveis de Vitalidade, conforme você se machuca, seja física ou mentalmente, seu Dream State piora até que você acorde. Quando se está no mais alto Dream State - Lucid Dreaming - a imersão é tamanha que a personagem se torna um mestre dos sonhos, sendo capaz de influênciá-lo com grande facilidade (mecanicamente, você nunca descarta os dados da Dreampool, podendo sempre fazer testes com todos os dados disponíveis sem o risco de perdê-los). Porém, caso seu Dream State se intensifique ainda mais ( e você não tem muito controle sobre isso) enquanto você está neste estado, você corre o rísco de entrar e coma e sofrer danos cerebrais.


Testes:
Os testes são feitos da seguinte forma: Primeiramente, o narrador decide a Habilidade usada, o número de sucessos necessário, e suas cores. O jogador pega o número de dados que achar suficiente da Dreampool e os rola. Cada dado que mostrar um número igual ou maior ao da Habilidade é um sucesso, o jogador precisa de um número maior de sucessos que o valor da dificuldade. Esses dados bem sucedidos são descartados depois da jogada, os outros retornam à Dreampool. Os dados devem ser coloridos, pois os sucessos de cada dado são considerados "um sucesso de determinada cor." Resultados 6 podem ser sucessos de qualquer cor, à escolha do jogador.
SPOILER: EXIBIR
exemplo do livro:
John tenta pular sobre uma cerca mágica em um sonho sobre gigantes. O obstaculo consiste em duas dificuldades de Reflectio e uma de Oneiros. A habilidade usada é Body, que no caso de John é 4. Não é tão ruim, mas John quer se certificar de que vai conseguir na primeira tentativa e pega 5 dados da Dreampool: 3R (Reflactio, brancos) e 2O (Oneiros, azuis).
Após a rolagem, estes são os resultados: 4O, 1O, 3R, 3R e 6R
Como o valor de Body de John é 4, os dados de resultado 4O e 6R são sucessos. John decide usar o resultado 6 como um sucesso de Oneiros e não de Reflectio. Removem-se os dados que resultaram em sucesso e devolve-se o resto à Dreampool.
John superou a dificuldade de Oneiros, mas ainda precisa de 3 sucessos de Reflectio, ficando, assim, pendurado na cerca.


Os Papéis são a habilidade única e especial de cada Sonhador, dois sonhadores do mesmo Papél nunca entram em mum mesmo sonho simultâneamente. São onze razoávelmente comuns e duas raríssimas:
SPOILER: EXIBIR
Breaker: Capaz de mudar as regras dos sonhos. Mecanicamente, capaz de trocar modificadores de lugar e passar efeitos e compulsões de uma personagem à outra;
Scribe: Capazes de manter registro sobre os acontecimentos dos sonhos e de viajar com todo o grupo por entre as cenas;
Muse: Capaz de inspirar seus companheiros. Um jogador por vez, pode rolar mais um dado a cada 6 rolado;
Shifter: Capaz de se transformar em qualquer coisa, porém apenas na aparência;
Flyer: Capaz de voar;
Lullaby: Capaz de puxar outros sonhadores para um Dream State mais profundo, mas não para o Lucid Dreaming;
Suicide: Poucos e tristes, podem ser automáticamente bem sucedidos em uma ação, mas morrem em consequência disso. Não morrem permanentemente, claro. Estarão lá, no próximo sonho;
Animator: Capazes de animar objetos sacrificando Ephemera. Quanto mais Ephemera, mais consciência e identidade;
Keymaker: Capaz de fabricar as chaves dos sonhos;
Watcher: Capaz de parar o tempo (as personagens não podem fazer nada, mas os jogadores podem usar esse tempo para conversar, pensar e tomar decisões) e sempre sabe quanto tempo falta para o sonho acabar;
Lucid: Apelidado de Alice, sempre começa cada sonho no Dream State Lucid Dreaming;
Wildcard: Um dos Papéis mais raros, sempre que rola mais 6s que 1s, causa algo muito bom para todo o grupo, caso role mais 1s que 6s, causa um desastre;
Cylix: Outro Papel raríssimo, capaz de mudar as cores dos sonhos. Mecanicamente, capaz de mudar as cores dos dados rolados.
"Fall In Your Own Blood Lust ..."

Avatar do usuário
KhanNoonienSingh
Mensagens: 112

Re: Into Dreams

Mensagem#2 » 11 Dez 2010, 00:07

Pelo menos usa D6, mas já tenho um pé atrás com sistemas que requerem profusão de dados.

Mesmo assim me interessei pela proposta e vou ler o livro.
"From Hell's heart I stab at thee; for hate's sake, I spit my last breath at thee!"
Khan Noonien Singh, últimas palavras.

Avatar do usuário
batosay
Mensagens: 50

Re: Into Dreams

Mensagem#3 » 11 Dez 2010, 11:35

Se o sistema for tão bom quanto o Site, ja me ganhou, Rs.

E esse tipo de proposta como o khan falou, tambem me anima basta (apesar que, as ultimas mesas que joguei eram muito focadas em combate, tanto que acho dificil eu me acostumar com esse tipo de contexto do cenário.
e então ela decidiu caminhar no túnel... afinal, o túnel é um ótimo lugar para se caminhar...

Avatar do usuário
batosay
Mensagens: 50

Re: Into Dreams

Mensagem#4 » 11 Dez 2010, 13:19

Estranho, até minha conexão q não vale nada, abriu di boa.

Vê se teu navegador ou o antivirus não tao impedindo a execução de algum plugin do Site.
e então ela decidiu caminhar no túnel... afinal, o túnel é um ótimo lugar para se caminhar...

Avatar do usuário
Darin
Mensagens: 429

Re: Into Dreams

Mensagem#5 » 11 Dez 2010, 21:51

já tentou clicar no simbolo bizarro que aparece?

E aposto que se fosse o silva a postar aqui, ninguém gostaria do sistema, hehehe

Avatar do usuário
KhanNoonienSingh
Mensagens: 112

Re: Into Dreams

Mensagem#6 » 12 Dez 2010, 22:06

Olhando agora, a idéia desse jogo parace "um pouco muito" inspirada no filme Inception/A Origem.
"From Hell's heart I stab at thee; for hate's sake, I spit my last breath at thee!"
Khan Noonien Singh, últimas palavras.

Avatar do usuário
Ken-Ohki
Mensagens: 726

Re: Into Dreams

Mensagem#7 » 12 Dez 2010, 22:17

KhanNoonienSingh escreveu:Olhando agora, a idéia desse jogo parace "um pouco muito" inspirada no filme Inception/A Origem.


Eu tinha dito isso no chat :P

crudebuster
Mensagens: 490
Contato:

Re: Into Dreams

Mensagem#8 » 16 Dez 2010, 16:45

Tenho a impressão de ter visto isso antes... Deve ter sido num sonho.

Ao estabelecer um objetivo, arquétipos e recompensas bem como perigos, inimigos e surpresas, esse jogo poderia ser muito mais que um meta-sonho... Aliás, um bocado das descrições dos sonhos são perturbadoras e tocam o insano...

O desafio de tempo limite para os sonhos, bem como a imaterialidade de certos paradigmas a serem alcançados é uma viagem incrível, mas limitada pelos grilhões de sua ficha de personagem e do sistema de RPG a que ela obedece.

Algumas coisas soam estranhas e bem mecânicas, embora eu goste de lógica e a aprecie em tudo que me rodeia fico espantado com coisas como "o dano afetou uma parte do cérebro que você não usa" e "crianças são sempre mais imaginativas que adultos". Passo melhor sem essas afirmações bobas e desprovidas de fundamento.

O que é apresentado como a realidade do mundo dos sonhos, onde se escondem as chaves para as idéias, tem muita lógica do absurdo, gosto muito disso.

Mas se as idéias, pensamentos e sonhos emanam de lá e só ecoam nas mentes dos seres viventes, porque deveriam afetar os seus personagens tão fisicamente com ameaças de coma, dano cerebral ou loucura? Ah, claro, tem de ser um jogo, tem de ter limites.

Acho um pouco frustrante ter todo um mundo vasto de coisas e ser preso a regras tão simplórias, com alegorias fantásticas de uma mente amarrada a uma cultura só.

Detesto fadas. E Rorschach sem eira nem beira. E pesadelos com mulheres de lingerie sendo esfoladas vivas por pássaros.

E o mais intrigante na minha opinião, esse troço todo é só o mundo dos sonhos dos humanos... Imagine o que os bichos pensam... Claro, sabemos que eles sonham, e se isso fosse só uma impressão falsa, e todos os sonhos, todas as idéias, todos os pensamentos de todos os seres viventes pertencessem ao mesmo universo que a matéria que os encerra?

Aliás, nem só os viventes - se a matéria ecoa os sonhos, todo o universo sonha - e então teríamos muito mais que somente sonhos de homens, talvez a aventura da história do próprio universo esteja perdida em algum sonho, que se perdeu no espaço que se expandiu desde o Big Bang...

Putz, tou delirando. Mas detesto quando coisas tão mais bonitas e livres que um jogo de RPG se vêem presas por regras e fichas.

A realidade deve ter lá suas regras, mas se a imaginação começa a ter limites, isso sim é uma tragédia pior que o fim da humanidade, proposto como a ameaça final do jogo.

Talvez as pessoas desse futuro sinistro estejam realmente ameaçadas a ter seus sonhos povoados por regras e limites... A morte da imaginação...

Mas a imaginação não emana do mundo das idéias? A luta então seria para nos "destrancarmos" desses limites e redescobrir a pureza das idéias perfeitas?

Mas perfeição é ilusão de mentes humanas! Não existe perfeição, só o conceito de... ah... Agora estou entendendo... Ou pirando de vez.

Puxa, isso sim é que é delírio. Teria de haver um arquétipo lá pra isso. Ou deve haver, mas estou querendo liberdade tanto que qualquer limite imposto me enerva e aborrece por demais.

Quero só ver a sua resenha, metalsonic.

Joaqueim Padeiro escreveu:"O sonho acabou"

Avatar do usuário
Lorde da Dança
Mensagens: 895

Re: Into Dreams

Mensagem#9 » 19 Dez 2010, 14:48

O desafio de tempo limite para os sonhos, bem como a imaterialidade de certos paradigmas a serem alcançados é uma viagem incrível, mas limitada pelos grilhões de sua ficha de personagem e do sistema de RPG a que ela obedece


Apenas quando sujeito a limitações a imaginação florece. Just saying
Soares S/A, novo formato, novo estilo, mesmos incompetentes de sempre.

Terra de Hienas; nem eu sei mais

"Você não entende!!! Se morrer no Canadá você morre na vida real!"

E então a história termina.

crudebuster
Mensagens: 490
Contato:

Re: Into Dreams

Mensagem#10 » 19 Dez 2010, 19:11

Lorde da Dança escreveu: Apenas quando sujeito a limitações a imaginação florece. Just saying


Bobagem infundada. Imaginação != Criatividade. A imaginação não tem e nem deve ter limites, a criatividade para pô-la em uso prático é que deve estabelecê-los.

Eu ainda acho um paradoxo tremendo a busca pelas idéias presas no mundo dos sonhos motivada pelo próprio mundo, mas a idéia é tão doida que se tornaria em uma sessão de meta-jogo antes que eu pudesse mestrar.

Bem que podia ter um tema menos amplo que "salvar o mundo", mas como isso não é cláusula pétrea do cenário, conseguir objetivos mais mundanos pode ser divertido também.

Alguém se lembra daquele "Bart`s Nightmare", do Super Nintendo, onde ele tinha uma noite e vários sonhos pra poder pegar as respostas de uma prova que ele está pra fazer no outro dia, e em cada sonho após pegar uma página ele deve se encaminhar a outras portas e etc?

Isso é algo mais palpável e menos ufanista que "ser o escolhido entre milhões" pra pegar as "idéias que vão salvar a humanidade da tragédia" pondo sua sanidade mental em risco.

Foda-se a humanidade. Sinceramente. ^_^

Avatar do usuário
Lorde da Dança
Mensagens: 895

Re: Into Dreams

Mensagem#11 » 19 Dez 2010, 19:57

Bobagem infundada. Imaginação != Criatividade. A imaginação não tem e nem deve ter limites, a criatividade para pô-la em uso prático é que deve estabelecê-los.

As pessoas imaginam poder voar simplesmente por que não podem fazer isto. Autores criam mundos fantasticos por não poderem viver neles. No geral a imaginação vem da incapacidade de realizar isto.

Veja agora num jogo, onde o objetivo seria achar uma chave, que poderia ser qualquer coisa, e de alguma forma liga-la a qualquer coisa, sendo que os jogadores podem fazer QUALQUER coisa. Você acaba com um monte de jogadores e um mestre sem saber o que fazer, e quando eles conseguem o jogo se torna rapidamente entediante.

Eu´falo por experiência.

Peça para uma pessoa desenhar qualquer coisa, em maior parte das vezes esta irá lhe perguntar o que ou qual tema, isto quando ela não escolher um como base.

pra pegar as "idéias que vão salvar a humanidade da tragédia" pondo sua sanidade mental em risco.



Nestee ponto eu tenho de concordar, o objetivo e a importância da coisa ficaram abertos demais para ter alguma importancia exceto para o jogador mais altruista.
Soares S/A, novo formato, novo estilo, mesmos incompetentes de sempre.

Terra de Hienas; nem eu sei mais

"Você não entende!!! Se morrer no Canadá você morre na vida real!"

E então a história termina.

Avatar do usuário
Armitage
Mensagens: 1056

Re: Into Dreams

Mensagem#12 » 19 Dez 2010, 23:25

Entendi o que o Lorde quis dizer, e concordo.
A "boa arte" nada mais é do que a "modinha da vez", ditada pelos atuais diretores do clube da luluzinha da vez. Troca-se os diretores (ou o clube da luluzinha), e troca-se a definição de "boa arte".

crudebuster
Mensagens: 490
Contato:

Re: Into Dreams

Mensagem#13 » 19 Dez 2010, 23:39

Lorde da Dança escreveu:As pessoas imaginam poder voar simplesmente por que não podem fazer isto. Autores criam mundos fantasticos por não poderem viver neles. No geral a imaginação vem da incapacidade de realizar isto.

Veja agora num jogo, onde o objetivo seria achar uma chave, que poderia ser qualquer coisa, e de alguma forma liga-la a qualquer coisa, sendo que os jogadores podem fazer QUALQUER coisa. Você acaba com um monte de jogadores e um mestre sem saber o que fazer, e quando eles conseguem o jogo se torna rapidamente entediante.

Eu´falo por experiência.

Peça para uma pessoa desenhar qualquer coisa, em maior parte das vezes esta irá lhe perguntar o que ou qual tema, isto quando ela não escolher um como base.

pra pegar as "idéias que vão salvar a humanidade da tragédia" pondo sua sanidade mental em risco.



Nestee ponto eu tenho de concordar, o objetivo e a importância da coisa ficaram abertos demais para ter alguma importancia exceto para o jogador mais altruista.


Viu só? Imaginação não tem limites, você concordou, só não deu o braço a torcer ou não entendeu o que eu escrevi. Mas tudo bem, eu falo muito asperamente, parece que estou nervoso, mas não é bem assim.

Pondo a criatividade das pessoas pra funcionar com as regras oferecidas, tendo um tema singelo como um sonho ingênuo ou um pesadelo tenebroso e uma chave que será o prêmio, você cria os trilhos necessários pro trenzinho do RPG andar.

O que eu estou dizendo, e parece que estou sendo confundido com um drogado alucinado ao fazê-lo, é dizer tão somente isso: A imaginação humana é muito mais ampla que isso. Não esqueçamos disso.

E ademais, usar sonhos como meios de alcançar coisas mundanas, como o Bart ao alcançar as respostas da prova, é mais fácil de colocar numa mesa casual.
Me avisem se eu estiver divagando muito.

Voltar para “Outros Sistemas”

Quem está online

Usuários neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes