País do Futuro: Campanha Cyberpunk

Você sempre quis relatar as aventuras do seu grupo para que todos pudessem apreciá-las? Esse é seu espaço!

Moderadores: ronassic, Moderadores

Avatar do usuário
Tabris
Mensagens: 381
Contato:

País do Futuro: Campanha Cyberpunk

Mensagem#1 » 30 Jul 2009, 23:30

Oda Nobunaga sobre esse tópico escreveu:Tabris diz:
*http://www.spell.net.br/forum/viewtopic.php?f=17&t=4922
Oda Nobunaga - Arthur diz:
*É bom que esse tópico seja de suma importancia
*Você me custou uma vida.
Tabris diz:
*LOL
*É meu diario de campanha =D
Oda Nobunaga - Arthur diz:
*Bem me perdoe mas eu estou muito irritado no momento. Nunca mais me mande isso. okay. Obrigado.


Comecei essa semana minha nova campanha. Cyberpunk no Brasil em 2059 e resolvi fazer pela primeira vez um diário de campanha aqui na Spell. O sistema é o Savage Worlds e o cenário é próprio.



País do Futuro


No ano de 2059 os EUA vivem uma Segunda Depressão e Guerra Civil. A Europa segue uma politica xenofóbica. O Japão e a China lutam pela supremacia na Asia. E o Brasil é uma potencial regional em um mundo multipolarizado. Se o Brasil já foi o Páis do Futuro, agora esse futuro chegou. Mas a ascensão e desenvolvimento do país não acabaram com antigos problemas. O abismo entre ricos e pobres é gigantesco, com as classes ricas trancadas em supercondominios dentro de domos de vidro a provade bala chamados Enclaves. A violência cresce cada vez mais, conforme a guerra sangrenta da policia contra o trafico de drogas clama cada vez mais vidas. A midia é comprada e os politicos corruptos, marionetes nas mãos das megacorporações por trás do poder. São nessas ruas corruptas, sangrentas, amorais e solitárias do Rio de Janeiro que a campanha se passa. Mas munidos de armas, atitude e pouco amor a própria vida, algumas pessoas constroem das sombras a história dessas ruas. Os jogadores estão entre essas pessoas, mas se suas ações mudarão o mudno envolta deles ou só darão aos ricos enclavistas algo mais para temer, so eles poderão dizer.

Os personagens (por enquanto), são esses:

Imagem


Haiko (Jogador: Thiago Queiroz) - Um ladrão, filho de imigrantes chineses. Eles cresceu nas ruas e aprendeu a sobreviver do jeito mais dificil. Agora ele é um mercenário fora da lei, tentando ganhar algum dinheiro enquanto foge da justiça. Ele já trabalhou antes com Antônio e hoje vivê com Akira, escondido na Favela do Salgueiro. Haiko é um ladrão extraordinário e aprendeu muitas habilidades diferentes com o tempo (Faz-Tudo).

Akira (Jogador: Dilson "Foguinho" Nascimento) - O homem hoje conhecido como Akira nasceu tendo apenas um numero como nome. Ele é um clone nascido e criado para servir ao Grupo Somitomo, uma poderosa megacorporação japonesa. Entretanto ele abandonou essa vida. Ele agora é um ronin, vagando pelo Rio de Janeiro com a uma familia de nomades motoqueiros conhecidos como Lacrais em busca de tanto dinheiro como vingança.
O Grupo Somitomo não aceita perder Akira assim tão facil e fazem de tudo para te-lo devolta, seja vivo ou morto.
Akira é conhecido por ser sanguinário, violento e amoral.

Antônio Viana (Jogador: Raphael Machado) - Antônio já foi um homem comum, um homem de familia, um executivo e muma cidade emergente de Minas Gerais. Um dia entretanto tudo isso foi embora quando um teste da divisão bélica do Grupo Somitomo decimou sua cidade e familia. Agora ele vaga pelas ruas como um mercenário, um guerreiro que não se importa com nada a não ser com si mesmo e com sua vingança contra o Grupo Somitomo.

Primeira Sessão - 27/07/2009


A primeira sessão acabou sendo rápida, mas até que foi bem. Os jogadores gostaram do sistema e se acostumaram rápido, também não tiveram grandes problemas de interpretação.


A sessão começou com Antônio recebendo um e-mail de uma figura misteriosa os avisando que o Grupo Somitomo havia usado os antecedentes de Haiko como ladrão para acusar o grupo de diversos crimes e que a policia iria invadir a favela para prende-los. A pessoa também avisou que um grupo de agentes da corporação estariam ajudando a policia e que entre eles um executivo importante estaria, se Antônio e os outros conseguissem encontrar esse executivo poderiam roubar dele um cartão de acesso para o sede regional do grupo. A figura avisou que se eles conseguissem o cartão poderiam conseguir alguns arquivos do computador central da sede, que poderiam não só valer um bom dinheiro como desmoralizar os Somitomo na midia. Antônio então avisou o resto do grupo que rápidamente fugiu para se reorganizar e procurar o executivo.

Depois de um tempo se escondendo dentro da favela eles conseguiram emboscar o grupo de agentes corporativos que protegiam o executivo e mata-los com certeza facilidade, conseguindo o cartão e fugindo no helicoptero do executivo. Depois de um confronto aéreo com mais agentes corporativos e um Abutre (Carro voador blindado do BOPE), os jogadores conseguiram fugir para a baixada fluminense no fim da sessão.

N tive muitos problemas nessa sessão, mas ter deixado o helicoptero com os jogadores pode ter sido um problema, já que permitiu que na outra sessão os jogadores o vendessem por uma quantidade enorme de dinheiro e comprassem muito equipamento.
Última edição por Tabris em 31 Jul 2009, 04:10, editado 1 vez no total.
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
Tabris
Mensagens: 381
Contato:

País do Futuro: Campanha Cyberpunk

Mensagem#2 » 31 Jul 2009, 01:26

Segunda Sessão - 30/07/2009


A sessão começou com os jogadores tentando vender o helicoptero (que já estava com um dos 4 motores quebrados nesse ponto). Depois de enganar um traficante eles conseguiram vender por uma quantia consideravel, ganhando a inimizade do homem depois que ele descobriu o problema. Os jogadores contataram então o homem misterioso que havia ligado antes, que os enviou para invadir o prédio da sede regional do Grupo Somitomo, com o objetivo de pegar arquivos sigilosos que poderiam difamar a megacorporação.

Antônio ficou em cima de um prédio próximo dando cobertura enquanto Haiko subiu pelo lado de fora e Akira entrou pela porta da frente com sua Camuflagem Ótica. O grupo conseguiu evitar confrontação até chegarem ao andar onde o computador central fica. Lá os jogadores encontraram atonitos Samurais Corporativos, todos clones da mesma matriz que Akira e exatamente iguais a ele exceto pelos implantes cibernéticos e os cabelos loiros (Que ele pinta). Akira raivosamente atacou os clones enquanto Haiko seguiu. Trucidando os samurais corporativos, Haiko e Akira seguiram para a próxima sala, apenas para encontrarem na sala do computador central mais Samurais a espera, incluindo um lider de contingente cibernéticamente melhorado e melhor equipado, um Shogun.

Imagem
Imagem
Imagem

Voltar para “Diários de Campanha”

Quem está online

Usuários neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante